[King Vessel] Navio

Página 1 de 5 1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[King Vessel] Navio

Mensagem por Syaoran em Sex 30 Maio 2014 - 19:37

Spoiler:
Navio ornamentado e dourado


Última edição por Syaoran em Qui 26 Jun 2014 - 20:22, editado 3 vez(es)
avatar
Syaoran

Mensagens : 749
Data de inscrição : 18/05/2014
Idade : 23
Localização : Matosinhos

Ficha do personagem
Nome:: Alibaba Saluja
Stats:
Estilos:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [King Vessel] Navio

Mensagem por Syaoran em Sex 30 Maio 2014 - 19:50

- Alibaba, tens certeza da tua decisão? Mesmo que te arrependas mais tarde talvez não te aceitem como Rei. –falou Judal levitando de pernas cruzadas perto do leme.

- Sim, não ouviste o discurso? Para alem disso dei-te a oportunidade de tu ficares como Rei afinal tens tambem sangue do Rei. respondeu calmamente enquanto agarrava o leme para manter a rota.

Spoiler:


Noite 500

- Alibaba-Ou! Alibaba-Ou! Alibaba-Ou!! -  gritavam milhares de pessoas na Praça em frente ao palacio.

A noite estava iluminada por tochas e velas que estvam acesas por toda a cidade em destroços, parecia que toda a população do Reino estava ali concentrada esperando a aparição do novo Rei.
Na maior baranda do palacaio que saia da sala do trono começaram a aparecer algumas pessoas, mas o povo ainda não tinha visto quem queria.


- Por favor… pediu gentilmente  acariciando  a cabeça de uma pequena rapariga de robes negros que tinha em mãos um cajado quase 2 meses maior que si.

- S-s-sim Alibaba-sama!dizia meio atrapalhada balançando o seu cajado fazendo aparecer uma bola brilhante em frente do homem que a acarecia.

- Obrigado eu não me trates assim. pediu sorrindo e depois respirou fundo preparando-se para começar a falar alto.


Mas antes que pudesse falar os gritos euforicos da população ergeram-se abafando qualquer tipo  de tentativa de começar.


- Alibaba-Ou!!! Ele está ali!! – gritavam eles depois de verem a bola de luz surgir apesar de não verem ainda o rapaz.

- Silencio por favor! ecoou pela praça  a voz de Alibaba que causou um silencio um pouco estranho Primeiro de tudo. Eu não irei tomar o reino. Não serei o vosso rei, não me sinto preparado nem à vontade para subir ao trono. O reino de Balbadd já não existe!  Balbadd foi perdido no momento em que este País foi conquistado. falou  num tom mais baixo e calmo, não necessitava de erguer a voz a magia do som que estava à sua frente funcionava como um microfone.

A população ao ouvir as palavras do rapaz de um silencio solene começaram a murmurar entre si, não percebiam o que o jovem Rei queria fazer.

- Lamento. Eu não estive com vocês desde inicio não mereço tornar-me na pessoa em que vocês confiam, não sou uma pessoa de confiança, nesta guerra juntei bastantes pecados que não quero passar para este País. Vocês tem de saber de tudo que realmente se passou nesta guerra, e a maneira de como a ganhamos, tudo começou assim que deixou Konoha depois de deixar uns amigos para trás para poder vos vir ajudar.falou com calma tentando ignorar alguns dos murmuro que ouvia atrás de si por parte de alguns guardas, estavam tão perplexos quanto a população.

https://www.youtube.com/watch?v=oGD_NzLnIHU

Spoiler:


Noite 001

No navio algumas horas depois de deixar Kyle e Satoshi em Konoha, já era noite e os dois irmãos estavam sentados no convés sem falarem um com um outro à bastante tempo.

- Alibaba, nós fomos até Konoha para tu poderes entregar aquilo pessoalmente e deixas esse trabalho para eles e vens embora? Isso tem alguma coisa a ver com o sangue que está no quarto?perguntava Judal finalmente quebrando o silencio.

- Mais ou menos, eu queria mesmo vê-la antes de ir embora, mas  ela consegue sentir energia, e eu sei que se passa algo de mal comigo, consegui limpar a minha mente enquanto fazia aquelas armas, mas acho que sujei o meu corpo, ela iria acabar por perceber, não a quero preocupar. dizia um pouco triste começando a tossir com força acabando por sujar as suas mãos com algumas gotas de sangue.

- Restos de energia magica dentro de ti? Aquela maneira de encantar pode ser perigosa por causa disso, deverias ter tido cuidado, mas mesmo assim nunca ouvi casos de pessoas que ficassem assim, deve ter outra coisa por trás, energia que não é tua noramlmente é expulsa com rapidez já deverias estar bem. disse Judal acabando por perceber um pouco a situação.

- Não é só isso acho, para alem da energia, acho que coloquei algo a mais  nas armas, algo que não sei se pode  ser perigoso para mim e para quem as utiliza, mas sinto que não será um problema.disse  colcoando os dosi punhos no chão e exercendo persão apra se levantar Olha o que se passou enquanto dormia. disse respirando fundo.

Judal olhava Alibaba com atenção talvez o pudesse ajudar se soubesse mais. Alibaba sacava a sua arma e a segurava com as duas mãos começando a tentar utilizar os poderes da espada, mas apenas a embolvia em chamas, nada mais.

- Não… que se passa… não funcionas agora? perguntava-se agora balançando a espada de um lado para outro como uma criança tentando  ativar algo, mas sem sucesso

- O que deveria acontecer? perguntou Judal

- Isto deveria me dar poder, mais poder. dizia ainda tentando fazer algo, mas começava a desistir, talvez aquilo tudo não passa-se mesmo de um sonho, mas assim que pensou isso lembrou-se do estado do quarto e de algo que podia fazer.

O fogo da lamina desapareceu e Alibaba segurava a esapda apenas com uma mão agora enquanto levava o polegar da outra há boca  o trincando até sangue começar a escorrer, passou-o pela  lamina  e voltou a tentar ativar algo, parecia que faltava isso. O fogo que saia da espada agora parecia sair do controlo engolindo Alibaba.

- Alibaba!!! gritava Judal levantando-se preocupado ao ver o seu amigo ser engolido pelas chamas.

- Não tem problema, não sinto nada de mal… apenas me sinto mais leve e forte.disse  enquanto as chamas diminuiam, ao ponto de apenas se ver chamas a cobrir as suas pernas e  braços como luvas e botas e um cachecol de chamas que ondulava em torno do seu corpo.

- Isso? A espada fez isso? Acho que já sei… disse o mago começando a coçar a cabeça

- Já sabes o que se passa? perguntou Alibaba voltando ao normal sem qualquer tipo de problema.

- Sim, se for o que penso esse problema que tens agora não é teres algo a mais dentro de ti, mas sim o contrario, passsaste partes de ti para dentro das coisas que fizeste e como fizeste tantas seguidas não tiveste tempo para repor o que foi retirado, ou seja acho que não precisamos nos preocupar com isso, apenas descansares e esperar que voltes ao normal, mas se tu meteste  algo em todas as 7 que criaste, quer dizer que o meu tambem tem parte de ti. disse olhando o seu ceptro dourado

- Possivelmente.disse voltando a por a espada na bainha e deixando-se cair  com o rabo no chão, com as costas encostadas a uma parede.

- Deixa-me tentar, isso pode ser útil se funcionar comigo.- disse  fazendo igual ao seu irmão  e trincando  o polegar até sair sangue  e passando pelo bastão do ceptro – Agora é tentar ir buscar algo ao ceptro certo? perguntou recebendo um aceno com a cabeça por parte de Alibaba.

Assim o fez, o bastão brilhou e foi envolto em água e esta tentou-se apoderar do mago, mas  depois de algum tempo com a água esta como entrou no corpo do segundo príncipe fazendo os seus cabelos começarem a ficar mais azuis assim como fazendo-os crescer os cabelos e pêlos dos braços e pernas.

- Haaa? Tão fácil? perguntou  sentia-se um pouco mais forte, mas estava fácil de mais, mas antes que pudesse fazer algo aquilo desapareceu e ele voltou ao normal Simplesmente desactivou. disse o mago um pouco desiludido.

Alibaba ao ver aquilo tentou pensar no seu caso, tinha a certeza que podia aguentar o tempo que fosse necessário desde que não ficasse esgotado, mas tinha que haver outro catalisador para o poder.

- Acho que te falta o desejo. Quando activei no meu caso estava em apuros no meu sonho, desejava maneira de mudar o destino, o que se passou no Reino, o que se passou com a Dark Guild e na cidade Subaquática, mudar  as coisas de mal que tinham acontecido. Talvez precises de um desejo maior para conseguires controlar isso.tentava explicar também revelando o que tinha estado a sonhar durante a viagem.

- Isso activou este poder para ti. Se for só um desejo, acho que querer apenas poder não vai resultar já que era isso que eu tinha em mente nesta tentativa. Vamos então pensar em outra coisa.disse o mago

O tempo continuava a passar e o Navio continuava a sua rota para levar os dois para a terra que os viu nascer. Judal tentava lembrar-se de algo que pudesse ser um bom catalisador, não tinha nada que ele quisesse para si que fosse bom, mas quando se preparava para finalmente pedir ajuda a Alibaba assim que olhou para ele viu a sua resposta.

- Judal Ren, 2º Príncipe do Reino Perdido de Balbadd, exige o teu poder servir o meu Rei. murmurou baixo  enquanto passava novamente o sangue pelo Ceptro.

Novamente a água saiu do bastão e envolveu o Príncipe que de olhos fechados suspirou  e os abriu fazendo a água entrar de uma vez dentro de si voltando a ficar na forma que antes tinha atingido, desta vez  sentia-se ainda mais poderoso e não sentia como se aquilo fosse desaparecer a qualquer momento como aconteceu antes.

- Acho que consegui. – disse rindo-se para Alibaba

- O que utilizaste como desejo? – perguntou Aliabba levantando-se surpreso e curioso com a forma do seu companheiro.

- Se-gre-do disse  pausadamente enquanto olhava para onde o Navio estava a ir.

- Hoo, anda lá diz eu disse o meu. pedia ainda na ignorância.

- Hey, soube que ficaste numa vila depois de seres levado pelas águas numa tempestade. Por acaso não é por esta zona? perguntou Judal, conseguia ver muito mais longe que o normal e viu bem ao longe algum sinal de civilização.

- Por esta zona? perguntava-se olhando para as formações rochosas que via ao longe, eram familiares, mas não sabia se não estaria a confundir com outro lugar que tivesse passado enquanto viajava De certeza passei por esta zona, mas não sei se as vilas são por aqui, por acaso não me importava de ver a Obassan. reflectiu em voz alta

- Ela por acaso é pequena, com cara enrugada e uma cicatriz na testa?perguntou Judal ainda olhando para longe na sua nova forma.

- S-sim, acho que isso é uma descrição certa, porquê? Conheces? – perguntou ainda sem saber que Judal via bastante longe.

- Hmm, então é por aqui,  que tal paramos nessa vila visitares essa velhinha e depois continuamos? perguntou, percebia agora que a sua visão não era um aumento no poder dos seus olhos, mas sim como que um sentido extra, como se ele visse o que a água consegue ver.

- Haa? A serio? Mas não estamos com pressa?perguntou Alibaba um pouco confuso, estivera até aquele momento a ser apressado mas agora Judal não se importava de fazer mais uma paragem.

- Não importa com estes poderes tudo vai-se tornar mais fácil assim que chegamos ao Reino, tenho a certeza. disse voltado à forma original perdendo aquela “visão” longínqua, estava um pouco convencido devido ao poder que sentiu que tinha quando estava transformado.

- Ok então se não te importas vamos ver a Obassan. disse sorrindo

Chegariam ao amanhecer ao local que Judal via à distancia.

Noite 500

- Nessa vila nós conseguimos uma das chaves para a vitoria nesta guerra. disse Alibaba  continuando a sua historia.



Última edição por Syaoran em Dom 1 Jun 2014 - 19:51, editado 2 vez(es)
avatar
Syaoran

Mensagens : 749
Data de inscrição : 18/05/2014
Idade : 23
Localização : Matosinhos

Ficha do personagem
Nome:: Alibaba Saluja
Stats:
Estilos:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [King Vessel] Navio

Mensagem por Syaoran em Sab 31 Maio 2014 - 21:55


Noite 500

- Naquela pequena vila encontramos uma das chaves para o fim desta guerra. continou respirando fundo olhando para o seu lado.

Uma pequena velhinha quase metade do tamanho do ferreiro caminhou ficando ao seu lado.

Spoiler:


Noite 005

- Tivemos sorte que vocês apareceram, obrigado, parece que foi o destino que te fez aparecer para os impedir novamente de nos dominar. falou uma voz envelhecida  com um sorriso enorme, que fazia esticar a pele da cara diminuindo as suas rugas assentuadas.

- Não foi nada Obassan, se fosse pelo destino eu nem estaria aqui agora, mas acho que desta vez deve ser mesmo de vez, eles não apareceram de novo para vos atrapalhar. respondeu Alibaba coçando a cabeça.

- Se eles tivessem tomado esta vila poderiam ter dominado todas as 15 tribos. Seria ainda mais desastroso. suspirou  de alivio a idosa

- 15 tribos, a obassan falou nisso na ultima vez, eles estavam a controlar as 15 tribos a partir de protecção. Mas porque agora seria um problema maior? perguntou o loiro

- Depois de eles terem saído desta zona, na primeira vez, cada tribo teve de se proteger sozinha, aumentar a sua quantidade de guerreiros e por fim fazer uma aliança, a nossa pequena vila, mesmo não sendo parte das tribos como fomos nós a nos livramos deles antes, fomos escolhidos como mediadores entre todas as vilas, sem nós elas acabariam por batalhar entre si ou simplesmente ter as suas forças utilizadas por eles. tentou explicar o que poderia ter acontecido.

- Então é uma coisa boa temos conseguido salva-la. disse Judal  calmamente.

- Obrigado rapazes. Agora vocês vão para casa não é? Desculpem-me não poder ajudar-vos no vosso problema mesmo com a influencia que temos sobre esta zona duvido que conseguisse-mos a ajuda de algumas das 15 vilas para ajudar nos problemas que você tem lá. falou a mulher de idade já a par do que se passava no Pais dos dois.

- Não tem problema Obassan, o nosso problema deve ser muito maior que o vosso seria grande risco para todos vocês. Mesmo assim obrigado. E lamento por não a conseguimos salvar na noite em que foi raptada.disse acabando por se desculpar.

Spoiler:


Noite 003

- Judal, amanhã vamos partir então para casa sem mais paragens não é? perguntou bocejando preparando-se para dormir, acariciando o eevee que estava ao seu lado na cama.

- Sim, não podemos nos dar ao luxo de perder mais tempo, mas pelo menos isto animou-te um pouco. Boa noite.disse Judal na cama ao lado da de Alibaba também preparando-se para dormir.

Os dois  viravam costas um para o outro e desligavam as luzes para tentar dormir, mas gritos ecoaram por todo o Navio.

- Alibaba-san!! Ajuda a Obassan!! A Obassan! gritava uma voz femenina fora do Navio

Os dois apressaram-se a sair dos quartos e a irem até ao conves vendo a rapariga em terra a gritar por eles.

- Que se passa com a Obassan?- perguntou Alibaba

- Eles-Eles voltaram. E levaram a Obassan!! Ajuda! dizia aos berros aflita.

- Eles? perguntava-se saindo para fora do Navio seguido por Judal

Corriam em direcção à pequena casa no topo da vila a onde murava a velha de longe já se via e ouvia uma batalha a ser travada  entre as pessoas da vila e quem a estava a atacar. Quando o trio chegou lá apenas encontrou a gente da vila caida e ferida os agressores já tinham fugido

- Eles conseguiram leva-la lamento. – desculpava-se ainda um que estava acordado apontando para a floresta.

- Judal vamos! ordenava o Ferreiro começando a correr na direcção da floresta

Judal começou a voar atrás dele e a rapariga que os tinha ido chamar a correr atrás dos dois.

- Fica aqui cuida dos feridos e a Vee. Por favor.pediu sem parar a sua marcha tentando fazer a rapariga não correr para o perigo.

- Es-está bem. respondeu parando de correr pegando em Vee que ao ouvir Alibaba parara de os seguir e ia para perto da rapariga.

Os dois irmãos principes continuaram  a correr, Judal subiu nos ares ainda mais para tentar ter uma melhor visão e assim conseguindo ver o grupo grande que se afastava deles a pé.

- Alibaba eles estão mais à frente. informou já voltando mais para perto do solo.

Em pouco tempo os dois apanharam o grupo  que havia raptado a velha, este parara com a aproximação dos dois apontando as suas armas para os dois.

- Hoo, tu. Parece que desta vez a situação mudou, nós é que estamos em maioria. Que pena. falou um que sem duvida se destacava, pela sua estatura física e os dois enormes machados que tinha em mão.

- Devolve a Obassan! ordenou com raiva na sua voz já se preparando para sacar a sua espada.

- Da ultima vez nem tentaste sacar a tua arma, parece que perdeste o medo de ferir alguém, mas  para azar  desta vila nós também melhoramos. Matem-nos!ordenou o homem apontando para Judal e Alibaba

Vários membros daquele grupo de antigos mercenários apontavam para eles estranhas maquinas que tinham nos braços e do nada foi disparada delas energia magica, algumas em forma de fogo, outras de jatos de água ou apenas vento cortante.
Alibaba escondeu-se atrás de uma árvore  sendo protegido dos ataque e Judal balançava o seu ceptro fazendo surgir uma barreira de gelo há sua frente que aguentou todos os ataque lançados para ele.

- Então!! Matem-nos! voltou a ordenar o Lider

O grupo preparava-se para nova investida mas antes que pudesse disparar, como que um chicote de água acertou em quase todos impedindo com que eles atacassem de novo, os que não foram acertados pela água foram derrubados por labaredas de chamas que foram atiradas contra eles.

- Desistam, devolvam a Obassan!voltava a exegir.

O Lider suspirou passando  a linha dos seus súbditos caídos ficando em frente a Alibaba o olhando com um ar convencido.

- Levem  a velha. O resto me ajude a matar este dois. disse  rodando os dois machados em mãos.

Um grupo de 2 ou 3 pegou na idosa desmaiada e continuou o percurso o resto cercou os dois irmãos, voltando a apontar as suas armas para eles e os que não tinham aquelas armas magicas apenas utilizavam espadas comuns.

- Vocês são chatos. Alibaba consegue tratar dele não é? Eu acabo com as formigas. disse Judal suspirando agarrando o seu ceptro com as duas mãos se preparando para o combate.

Alibaba acenou afirmativa com a cabeça e foi na direção do Líder com os Machados o tentando espetar com a sua lâmina no seu braço direto. O Lider ao perceber o ataque cruzou os machados à sua frente batendo raspando um no outro no movimento emitindo um som metálico. O ataque de Alibaba fora parado por uma estranha barreira que se formou na frente do Homem e de seguida o empurrou para trás com força. O jovem se perguntava o que se estava a passar não percebera como aquilo estava a acontecer, não notou a formação daquela barreira até sentir a sua lamina não conseguir ir mais em frente, mas não tinha tempo para pensar naquilo o seu adversário o atacava descendo os machados sobre ele com fúria. Para não ser acertado, deu um salto para trás se afastando um pouco, levando o braço que tinha a espada a trás e de seguida o lançando para a frente lançando na direção do Homem dos Machados um jato de chamas. Novamente o Homem cruzava os machados criando uma barreira que defendia das chamas e para contra atacar descruzou os machados como se tivesse a tentar atacar alguém e as chamas foram como que mandadas de volta contra Alibaba, que para não ser acertado voltou a afastar-se ainda mais.
Com Judal tudo estava muito mais fácil, ele estava transformado já e a derrubar facilmente o resto do grupo com as suas magias de gelo e água, notava as dificuldades de Alibaba e não percebia o porquê de ele não se transformar também, mas se acabasse com aquilo rápido poderia ir ajuda-lo.
Alibaba com dificuldades continuava aos avanços e recuos, os seus ataques eram todos parados pela estranha barreira que se formava sempre em frente do seu adversário, os outros também tinham armas magicas talvez aqueles machados também fossem, isso era obvio, mas como iria passar por aquela barreira? O seu inimigo voltava a atacar, desta vez de longe fazendo um corte horizontal com os dois machados fazendo-os raspar um no outro e algo foi atirado contra Alibaba  como rajadas de vendo   que lhe faziam cortes por todo o corpo. Antes que ele pudesse fazer algo o Homem já estava em cima dele voltando a fazer os machados caírem verticalmente sobre ele para se defender virou a espada de lado e a colocou em cima da sua cabeça segurando no cabo e na lamina com as duas mãos tentando parar o ataque, no processo cortara um pouco a sua mão esquerda que estava na lamina e com o impacto sentiu as suas pernas cederem levando um dos joelhos ao chão, estava realmente em dificuldade. Depois deste ataque o homem afastava os machados e Alibaba pensou ser um momento bom para o contra ataque, mas o afastar dos machados foi apenas para ganhar balanço para uma nova investida e antes que ele pudesse contra tacar sentiu outro impacto na sua espada fazendo esforço para não ficar de joelhos. A sua arma já estava manchada do seu sangue poderia transformar-se a qualquer altura e até pensou em fazer isso a sua arma já começava a ficar envolta em chamas, mas antes que pudesse se transformou sentiu ser acertado pelas costas  o fazendo cair aos pés do Lider que já se preparava para um novo ataque. Alguns dos subordinados que deveriam estar a tratar de Judal mudaram o seu foco por instantes o atacando  com as suas magias e logo de seguida sendo derrubados por Judal

- Alibaba! gritou Judal rodando por si mesmo lançando  água à sua volta acertado todos no local incluindo o líder que se afastou alguns metros de Alibaba caído.

Judal foi até Alibaba que estava no chão para conferir o seu estado e aproveitando isso todos os que ainda estavam de pé focaram os seus ataque na zona a onde os dois estavam, incluindo O líder que batia varias vezes os machados num do lado lançando varias ondas cortantes contra eles.
O local foi envolto em fumo e vapor, devido aos ataques de diferentes elementos e pensando que o trabalho estava terminado o grupo fugiu. Quando todas aquelas nuvens desapareceram ficou à mostra um iglô de gelo rocha criado por Judal Alibaba com a sua Alquimia para se protegerem dos ataques. O segundo já estava desmaiado quando os ataques terminaram.

Noite 004

- Obassan!acordou com um berro vendo-se na mesma cama a onde tinha acordado depois da tempestade quando deixara o seu Pais, desta vez estava com a rapariga e Judal perto dele – O que aconteceu? – perguntou acalmando-se um pouco.

- Eles venceram-nos. Mas consegui apanhar e já o fiz dizer para onde eles foram. disse Judal apontando para um homem que estava quase totalmente congelado amarrado a uma cadeira .

- Te-temos que ir. disse levantando-se da cama.

- Sim, está bem, já obriguei o povo da vila a vir connosco, se eles conseguirem aguentar os fracos podemos-nos focar no líder e nos que usam magia. disse Judal já com o ceptro em mãos.

- O Judal-san  disse para fazer isto para ti. disse a rapariga entregando uma luva a Alibaba, nela tinha um circulo alquímico iria facilitar o uso de alquimia

- Obrigado. agradeceu colocando a luva

Os dois saíram à rua para serem deparados com grande parte da vila à sua espera já com armas prontas para ir salvar a sua patriarca. Judal não disse nada apenas começou a levitar na direcção que teriam de ir e Alibaba foi atrás dele junto com os que iam lutar com eles. Vee e a rapariga ficaram para trás os vendo partir mais uma vez.

Em poucos minutos chegaram a uma espécie de castelo, não era assim um lugar tão pouco óbvio, aquele edifício foi utilizado antes como sede daquele grupo na época em que eles controlavam toda a regiam, Judal não sabia isso e mesmo que soubesse iria tido feito o mesmo aquele homem.

- Vamos! – gritaram o povo da vila começando a correr em direcção à entrada do castelo apenas sendo recebido por balas, flechas bombas, blast de fogo jactos de água e rajadas de vento.

A batalha começara e Judal e Alibaba também tentavam entrar no castelo forçando a enorme porta de entrada  que acabou por ceder. A luta passou para dentro do castelo, a maioria do povo da vila focava-se em aguentar os mercenários enquanto deixavam passar Judal e Alibaba. Era esse o plano, Judal tinham dito ao povo o que fazer, atacar os invasores e deixar os dois irem em frente sem terem de se desgastar muito, claro que lá pelo meio eram obrigado a derrubar alguns dos inimigos para continuarem a sua corrida, até ao momento só tinham encontrado os que utilizavam armas normais  a não ser os poucos que utilizavam magia quando eles estavam do lado de fora. Mas do nada um dos homens da vila passou a voar por eles sendo atirado para longe por uma barreira  humana de mercenários que utilizavam aqueles estranhos aparelhos mágicos, estavam a impedir a entrada na sala principal do castelo sem duvida a Obassan e o Líder estariam ali

- Saiam da frente!  - gritou  Alibaba   balançando a sua espada com um chicote estendendo o seu  tamanho com chamas  que imitaram o movimento de um chicote real, que foi  combatido com as magias disparadas por aqueles mercenários.

- Ele falou. disse calmamente o mago batendo com o seu ceptro dos mares no chão criando  criando à sua  frente uma onda de água que engoliu os que impediam a sua passagem os atirando pela porta que estavam fechada os fazendo cair do lado de dentro.

Judal e Alibaba entraram vendo apenas o Lider que tinha um dos seus machados encostados ao pescoço da idosa amarrada.

-  Devolve a Obassan. disse com raiva

- Que tal… Não! Melhor irem embora, assim que ela me der o poder politico sobre a vila eu devolvo-a e eu terei o poder de  toda a região e terei um exercitoanunciou  começando-se a rir

- Ele não te pediu… ele ordenou.disse Judal dando um passo em frente.

- Mais um passo e eu corto-lhe a cabeça. ameaçou o  homem

Judal  suspirou e agarrou o seu ceptro transformando-se sem preocupação com a segurança da idosa.

- Eu estou a avisar-te vão-se embora ou ela morre!gritou o homem colocando o segundo machado em paralelo junto ao pescoço da mulher.

Judal cuspiu em seco e bateu com o ceptro no chão e quase de imediato vários espigões de gelo saíram do solo perfurando os braços do homem, que estavam em paralelo tal igual os machados, o obrigado a largar as suas armas em dor. Judal com a onda que arrebentara a porta daquela sala havia-a encharcado por isso fora tão fácil e rápido fazer aquilo.
Agora com o inimigo desarmado Alibaba foi em frente tentando atacar o Lider que utilizou a sua força física para quebrar o gelo que tinha trespassado os seus braços e assim fugindo da investida do Ferreiro.

-Está bem Obassan? Fique perto de mim. disse Alibaba olhando para o Lider

- Sim estou. Obrigado por terem vindo-me salvar. - agradeceu a idosa.

De um nível superior apareceram mais mercenários com os aparelhos mágicos disparando sobre Judal e Alibaba  que para se proteger, um formara uma barreira de gelo e o outro de pedra ficando em segurança. Na confusão o Lider conseguira reaver os seus machados e ia na direção de Judal.

- Obassan, fique aqui atrás. pediu Alibaba mordendo o seu polegar e passando o sangue que fazia escorrer pela lâmina se transformando.

Novamente balançando a sua espada como um chicote acertava nos inimigos que estavam nos andares superiores os fazendo cair a baixo a arder, mas pela agua que alagava o local eram logo apagados ainda em aptos para combater. Em poucos ataques os poucos inimigos restantes estavam agora todos ao mesmo nível, investindo sobre Alibaba que aproveitava e utilizava alquimia para cira rum escudo improvisado no seu braço esquerdo.
Os ataques a queima rouba eram bloqueados com o escudo e depois ele tentava contra atacar com cortes ou  lançando chamas ou simplesmente pontapeado os que estavam mais próximos.  Muitas vezes eram vários a atacar ao mesmo tempo, ele bloqueava os ataques se encolhendo para depois  os afastar com força e redopiar sobre si lançando chamas a toda a volta. Estava a ser relativamente fácil conter aqueles mercenários, o Lider estava a outro nível, ou simplesmente o seu tipo de combate ficava em desvantagem contra os poderes ele.
No meio de tantas investidas que o Ferreiros revestida acabou por ficar encurralado, bloqueara os ataques feitos contra ele  com o escudo improvisado e a espada e viu que ia ser atacado pelas costas de novo, mas para sua sorte algo explodido na cara do que o ia atacar pelas costas o colocando fora de combate lhe dando oportunidade para encolher os braços  e logo s seguida  os  esticar  fazendo os que atacavam afastar-se um pouco dando tempo para novamente rodar sobre si lançando chamas e acabando com eles.

- Veee! Vee!gritava o animal que o havia salvo de ser atacado pelas costas correndo para ele subindo para o seu ombro

- Vee obrigado. agradeceu olhando em volta vendo que todos os inimigos estavam vencidos com exepção do Lider.

- Obassan?! Obassan!gritava a rapariga tinha vindo com Vee parecia que o povo da vila tinha conseguido vencer os mercenárias na outra sala e agora se juntava ali.

- Minha neta! gritou feliz  correndo para abraçar a sua neta.

Parecia que tudo tinha acabado, Alibaba voltava ao normal e olhava para Judal e o Lider que ainda combatiam.
O Lider atacava com os seus machados os fazendo cair com força sobre Judal que para se defender criava uma barreira de gelo lhe dando tempo para se afastar com facilidade, as investidas do Lider dos Mercenários continuavas iguais e monótonas e Judal defendia-se sempre da mesma maneira, parecia que queria humilhar o Lider. Nova investida  desta vez com os poderes dos machados lançando  uma onda de energia ao bater na barreira criada por Judal a destruído por completamente, mas do outro lado Judal já não estava.

- A onde estás?! girtava com raiva olhando em volta.

- Aqui… respondia  levantando o seu ceptro

Judal estava a alguns metros a cima do solo e à sua volta tinha varias setas de gelos apontadas para o seu adversário que ao ver a cena tremeu de medo e antes que pudesse fugir foi bombardeado, acabando cheio de cortes e com algumas das setas espetadas no seu corpo.

-Ghaaa…gemeu já com sangue a escorrer pelo corpo e  boca.

Judal desceu ficando há frente do seu oponente a alguns metros, apontou o ceptro contra ele e lançou uma rajada de água na sua direção, numa tentativa de se defender o Homem cruzou os machados criado a sua barreira, a água foi bloqueada e  refletida para os lados, mas não ficou por ai, Judal controlava a água e fazia a água que era refletida para os lados    dar a volta à barreira do Lider dos Mercenários lhe espetando nas costas, o fazendo largar as armas com a dor.

- Então?perguntou sarcasticamente balançando o ceptro novamente fazendo um slash de água ascendente lhe cortas a frente, balançou novamente e outro slash de água fez outro corte.

Judal começava a castigar aquele homem o torturado fazendo vários cortes e furos utilizando água e gelo, Alibaba e todos que tinham vindo para ali viam o que acontecia, não podiam dizer nada, aquilo era merecido.

- Judal chega! gritou Aliababa

Judal voltou à sua forma original de imediato mesmo sem desejar balançado apenas mais uma vez o cpetro fazendo um pecadaço de gelo acertar a cara do inimigo quebrando com a força do arremeço e o fazendo cair inconsciente no chão.


Noite 005

- Bem, vamos embora então, eles foram todos apanhados e castigados não tentaram novamente fazer algo parecido neste território. disse Judal despedindo-se da velha e começando a andar para o Navio para continuar a viagem.

- Sim, melhor. Adeus Obassan e Sakura. Espero que fiquem bem. Vamos Vee. despediu-se deixando o seu animal de estimação subir-lhe para o ombro seguindo Judal.

- Adeus, obrigado por nos ajudar novamente e desculpa não poder-mos  ajudar-vos. disse a idosa.

- Adeus Alibaba-san, Judal-san - despediu-se a rapariga

Noite 500

- A Obassan,  conseguiu a ajuda das 15 tribos que chegaram a tempo de impedir que os reforços invadissem este Pais de novo, sem eles ainda estariam em guerra, ou teríamos sido derrotados novamente. disse Alibaba da varanda do Palácio para o povo na praça há sua frente – Sim, eles foram grande ajuda mas não foram os únicos a ter um grande papel na reconquista. continuo
avatar
Syaoran

Mensagens : 749
Data de inscrição : 18/05/2014
Idade : 23
Localização : Matosinhos

Ficha do personagem
Nome:: Alibaba Saluja
Stats:
Estilos:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [King Vessel] Navio

Mensagem por Syaoran em Dom 1 Jun 2014 - 16:21


Noite 500

- Desde que este Pais foi conquistado houve um grupo que esteve sempre a combate-lo tentando-o retomar mesmo antes de eu voltar, sempre tentando diminuir as casualidade em pessoas inocentes. Mas quando cheguei estava quase a acabar. falou

Spoiler:


Noite 032

- Alibaba antes de atacarmos lê isto com atenção, vais ter de fazer a tua parte para entramos sem suspeitas. disse Judal entregando alguns documentos ao seu companheiro

- Isto é? Premissas de transporte e entrega, onde conseguiste isto e para que terei de as utilizar? perguntou lendo os documentos contendo a o inventario que eles deveriam estar a carregar e de onde tinham vindo a rota que tomaram.

- Não sabemos o estado do Pais, precisamos de não ser logo apanhados e mandar uma mensagem aos rebeldes, e com certeza eles estão nesta  cidade costeira, sendo a ultima base que eles planeariam utilizar caso fossem obrigados a recuar da capital. Consegui estes papeis com a velhinha naquela vila. explicou

- Hmm, então por isso é que tem aqui uma assinatura com o meu nome, tu espera que os rebeldes vejam isto e venham ter conosco. reflectiu em voz alta  fechando os documentos se preparando para atracar o navio.

Tudo correr como devia eles atracaram e foram logo recebidos por inspectores que vinham confirmar os seus afazeres, Judal tinham-se escondido, a sua cara não era desconhecida se alguém o reconhecera seria perigoso.

- Suponho que sejam um Navio de carga já que o colocaram nesta zona posso ver a papelada? – perguntou o homem

- Sim.  Aqui está. disse entregando os documentos ao homem

Este os leu e foi fazendo algumas perguntas sobre o conteúdo do mesmo até acabar por ser convencido.

- Tudo em ordem, precisa de ajuda a descarregar? – perguntou

- Não, a tripulação está apenas a dormir depois de uma viagem um pouco longa. disse Alibaba

- Então estão livres, aqui está a chave do armazém a onde podem guardar os produtos e tenham um resto de boa noite. – disse o homem  indo-se embora.

Estavam livres Judal saiu do esconderijo tapado com um manto que não lhe deixava ver a cara e os dois abandonaram o Navio para andar um pouco por aquela cidade.

- Quanto tempo pode demorar até sermos contactados?perguntou Alibaba já farto de andar sem rumo pela cidade, já era quase de madrugada, as ruas estavam vazias.

- Depende da velocidade a que os papeis cheguem aos reveldes e eles encontrem o teu nome. disse Judal baixo.

- Ei! Vocês ai, que fazem a esta hora da noite nas ruas? – perguntou um homem vestindo um uniforme dos guardas, que acabara de virar a esquina estava acompanhado por outros dois.

Alibaba levou logo a mão à pega da espada se preparando para o pior.

- Alibaba, calma…disse Judal o aconselhando a não fazer nada.

- Terão de nos acompanhar. – disse  o Homem já sacando da sua arma junto com os seus 2 acompanhantes.

- Sim, iremos de bom grado com os Guardas. disse Judal colocando as mãos no ar.

Alibaba não percebera tanto trabalho para não serem apanhados e agora deixava-se ser levado facilmente, mas mesmo não percebendo deixou-se ir. Foram levados pelas ruas vazias pelos 3 Guardas passaram o posto de segurança o que deixou o rapaz ainda mais desconfiado e foram levados até um beco entrando numa casa.

- Desculpem rapazes tínhamos de fazer isto para caso alguém vos visse. disse um homem nas sombras assim que eles entraram.

- Chegamos, como está a situação? perguntou Judal.

Os guardas que acompanharam os dois suspiraram de alivio e começaram a tirar os seus uniformes, Alibaba estava confuso até a altura mas a a voz daquela pessoa era familiar ele sabia quem era.

- Barkak-sensei… disse Alibaba surpreso.

- Ainda bem que voltaste Alibaba-ouji. Bom trabalho Judal-oujidisse o homem saindo das sombras,  era alto e tinha o corpo trabalhado apesar de se ver varias cicatrizes de guerra por todo o corpo, era um dos guardas reais o ultimo.Venham…disse virando costas.

Os 2 acompanharam aquele homem entraram numa passagem secreta que dava  a uma espécie de banker debaixo da cidade, pelo caminho foram vendo varias pessoas, todas com ar de guerreiros, eram todos da força dos rebeldes, aquilo era a base deles naquela cidade.

- A situação está ainda pior, fomos encontrados em cada uma das outras cidades e vilarejos eles foram-nos obrigado a recuar e perdemos a maioria das tropas, estamos quase sem opções. Teremos de o revelar a todo o reino e rezar para os que nos abandonaram sem fé voltem ao saberem que o que o Rei falou na sua morte é verdade. explicou Barkak

- Hmmm, gostava que isso não acontecesse, mas sim, talvez seja a única chance de recuperamos algumas forças. disse Judal suspirando

- Alibaba-ouji, não te preocupes serás apenas a cara da revolução não precisaras de lutar. disse Barkak, começando a ouvir risos por parte de Judal.

- Eu vou lutar. Se não o fosse fazer nem teriam vindo. disse Alibaba

- Mas tu não consegues ma… Esquece. Eu não sei o que se passou na tua viagem, mas sem duvida mudaste um pouco.disse o homem abrindo um sorriso.

Finalmente pararam, estavam agora junto a uma mesa redonda, dentro de uma das salas do Banker, nela tinha o mapa do Pais e todas as vilas, cidades e vilarejos assinalados, assim como o numero de rebeldes em cada.

- Precisamos decidir o que fazer depois de o anunciar ao Pais. Temos vários rumos depois disso. Podemos ir directos para a capital e tentar toma-la do Governador, mas assim teremos pouco tempo para juntar forças e será muito mais difícil.  Podemos tentar ir mais devagar e ir reconquistado todo em volta da capital, assim ganhamos tropas no processo, fechados o Pais impedindo que saiam pedidos de reforços. foi explicando

- Uma pergunta, qual o estado da Academia Magica? perguntou o mago, com um ar preocupado.

- A Academia, não recebemos muita informação sobre isso, mas acho que esteja independente, eles nem se deram ao trabalho de a tentar conquista, afinal diz-se ser impenetrável. disse Barkak olhando para Judal

- A serio? É que enquanto vínhamos para cá fomos envolvido em uma situação estranha. A Academia não costuma deixar sair os seus artefactos mágicos e encontramos dezenas deles nas mãos de mercenários e bandidos, eu conheço o trabalho da Academia, tenho a certeza que são de lá.revelou Judal num tom serio

- Então foi por isso que fizeste aquilo ao Homem. murmurou Alibaba

- Não só, ele humilhou-te e desonrou-te merecia um castigo.disse Judal

- Hahaha… obrigado. agradeceu rindo-se

- A Academia a bazar os seus artefactos, isso sim é estranho, tentaremos saber mais. disse o Líder dos Rebeldes.

- Sabem o estado do Reino que nos conquistou? Se eles estão a aumentar mais o seu território? perguntou Alibaba

- Sim, nós não fomos os únicos, eles conquistaram cerca de 5 reinos antes de nós e alguns  mais depois. Porquê? perguntou o mais velho.

- Hmmm… Pode ser que eles tenham feito algum tipo de acordo com a Academia em troco de não lhes fazer nada, eles lhes davam os seus artefactos mágicos para eles vendiam-nos. Guerra são dispendiosas, tem de ter alguma ajuda para alem dos impostos altos que metem nas zonas conquistadas. explicou Alibaba

- Isso…  Apenas um comerciante iria pensar nos custos. Podes ter razão, veremos isso também. disse o Líder fazendo uma pequena pausa E agora? Eu deixarei o rumo desta guerra nas tuas mãos. Tu seres o Rei, como queres reconquistar o teu Reino? Indo direto para a capital ou conquistando tudo? perguntou olhando para Alibaba.

O Ferreiro olhou para Judal que apenas lhe deu os ombros, não lhe importava a decisão que Alibaba toma-se iria seguir com ela.

- Conquistar tudo, fechar o Pais e impedir reforços. Escolheu Alibaba.

- Muito bem Alibaba-ouji. disse curvando-se e de seguida deixando aquela sala.

No dia seguinte em todo o Pais foi revelado a identidade do filho bastardo do antigo Rei, sabiam o seu nome, a sua aparência e até que ele já estava no Pais. Apesar de se notar nos tempos seguintes o aumento das forças rebeles também os Guardas tornaram-se mais  agressivos investigando mais a fundo tudo assim como grandes exércitos vindos da capital para ver todas as cidades e vilas em busca do Príncipe Bastardo.


Noite 094


- Avancem!!! Os façam recuar e reconquistaremos esta cidade de novo!! gritou o Líder dos rebeldes.

Estavam no meio da cidade, batalhas aconteciam em todas as ruas da cidade, os inocentes mantinham-se escondidos em casa apenas ouvindo os gritos de guerra e morte  dos que caiam nas batalha.

- Alibaba cuidado.avisou o mago  lançando uma enorme seta de gelo contra um que se preparava para atacar Alibaba pelas costa.

- Tu também… responder saltando por cima do mago caindo com a sua espada sobre outro que  tentava atacar o mago num momento de distracção.

As batalhas continuavam, era a mais ardente até ao momento já tinham conquistado toda terra nas fronteiras dos Pais o tinham fechado e este era o primeiro ataque em direcção à capital, tinham lutados dia sim, dia sim, o corpo de todos os rebeldes estavam cobertos de ligaduras para fechar as feridas adquiridas em batalha.
Notava-se que as tropas inimigas estavam em cada vez mais numero e mais ferozes, o Governador da Capital já deveria ter percebido o que se passava e o que eles queriam fazer e por isso estava a mandar mais trocas a cada batalha para tentar exterminar os rebeldes antes que eles decidissem atacar a capital.
Como Judal tinham percebido e avisado, parecia que a Academia estava a fornecer artefactos mágicos, já que encontravam em quase todos os exércitos que combatiam pessoas a os usar.

- Alibaba Saluja, 1º Príncipe do Reino perdido de Balbadd exige o teu poder mudar o destino. -  murmurou  enquanto era envolto em chamas.

- Judal Ren, 2º Príncipe do Reino perdido de Balbadd exige o teu poder para servir o meu Rei.disse quase em uníssono com o seu companheiro sendo envolto em água.

Os dois acabaram-se por transformar como acontecia em quase todas as batalhas que entravam naquela guerra, não por uma questão de o inimigo ser poderoso, mas o seu número exigia que eles fossem mais fortes ainda para não serem derrotados.
Chuva de gelo afiado começava a cair perfurando os inimigos quase causando morte imediata a alguns, ele tinha melhorado o seu controlo tanto com o poder do ceptro como da sua própria magia e conseguia fazer cair grande número de ataques ao mesmo tempo e impedi-los de acertar em aleados.
Já Alibaba lançava jatos flamejantes que acertavam poucos inimigos de cada vez, ou passava rapidamente pelas linhas inimigas desferindo ataques velozes com a sua espada, apenas os colocando fora de combate sem os matar, durante toda a guerra ele não havia morto nenhum inimigo mesmo transformado e por isso por vezes ficava em apuros.

- Eles estão a recuar!! Vencemos!! – gritavam os rebeldes.

O exercito inimigo corria da cidade, abandonado os seus companheiros caídos, parecia que aquela batalha estava ganha e que tinham tomado mais uma cidade, mas a cada uma que tomavam mais difícil ficava cada batalha mas a cada uma que conseguiam  conquistar o numero de gente a juntar-se aos rebeldes aumentava até alguns soldados capturados naquelas batalhas se juntavam a eles.

Noite 168

- Haaa! berrava Alibaba desferindo uma estocada com a espada que pareciam varias ao mesmo tempo perfurando pernas e braços do seu oponente.

- Vocês não tem escapatório, iremos reconquistar este Pais. dizia Judal no ar  lançando chicotadas de água contra vários inimigos.

Entre as pernas no nível mais respeito andava um pequeno animal aos saltos passando entre as pernas de todos e mordendo ou lançando bolas de energia contra os inimigos.

- Maldito rato! – diziam alguns cercando o animal

- Vee? dizia o pokemon   colocando a cabeça de lado com  ar de duvida Vee vee.. diz no momento em que os que o  cercavam preparavam-se para a atacar, mas do nada paravam impedidos de atacar.

- Hoo que fofo… – diziam impedidos de atacar.

E logo de seguida eram acertados por água e pedras saídas do chão. Ficando inconscientes ou mortos.

- Bom trabalho Vee. Não gosto de te por no combate, mas isto está cada vez mais difícil. dizia  já o Ferreiro já ao pé do animal   que lhe subia para o ombro Estamos prontos? perguntou  olhando o animal enquanto afastava um inimigo

- Veeeeee dizia afirmativamente.

- Judal!chamava  olhando para o céu a onde estava o  Mago iluminado pela Lua.

Este sem dizer nada desceu ficando lado a lado com Alibaba e logo de seguida Vee saltava para o chão.

- Alibaba Saluja, 1º Príncipe do Reino perdido de Balbadd exige o teu poder mudar o destino. -  Disse em alto e bom som enquanto  as suas pernas e braços eram envolvidos em chamas.

- Judal Ren, 2º Príncipe do Reino perdido de Balbadd exige o teu poder para servir o meu Rei.falou ao mesmo tempo levantando o Ceptro enquanto os seus cabelos e pelos cresciam e ficavam azulados.

A alguns metros o Líder dos rebeldes dava um berro com  a força total dos seus pulmões.

- Recuar!!!! Recuar!!! gritava com toda a força ordenando as forças a se afastar.

Todos os rebeldes começavam a passar por Judal, Alibaba e Vee que se mantinham parados agora eram eles a linha da frente e toda a força inimiga estava surpresa pensando que tinham ganho.

- Vamos a isto… disse Alibaba confiante enquanto  espetava a sua espada no chão

Ao mesmo tempo Judal fazia o mesmo batendo com o ceptro no chão enterrando-o um pouco. A lamina da espada começava a ser envolta em chamas e o mesmo acontecia com o Ceptro mas água, aqueles poderes eram lançados contra o solo e à sua frente centenas de géiser de água escaldante saíram a grande velocidade acertando todas as tropas inimigas que recebiam queimaduras de alto grau, um ataque de grande escala planeado pelo trio, que dizimou toda a tropa inimiga e mesmo os que não eram acertados pelo jacto ascendente eram queimados pela chuva escaldante aquela batalha estava ganha.

- Mais uma batalha ganha!! Temos o caminho até à próxima cidade livre e de certeza que eles não terão tropas lá! gritou Barkak.

- Bom trabalho Vee, cavaste rápido. disse Alibaba voltando ao normal abaixando-se para acariciar o animal.

Claro que nem todas as batalhas foram ganhas, muitas foram perdidas, claro que o rácio estava positivo, mas muitos dos dois lados tinha sido perdido, mas mesmo assim a confiança na reconquista continuava.

Noite  243

- Não desistam, os reforços estão a chegar! Aguentem alguns minutos e mudaremos o rumo desta batalha. gritava o líder dos rebeldes.  

-Vee… Vee… Vee.. dizia debaixo do solo cavando um túnel por toda a zona de combate.

Saiu finalmente vendo a lua, estava suja cheia de terra e cansada, e finalmente cercada por inimigos que a viram sair de terra.

- Que é isto uma toupeira? – perguntava um

- Não isso é um animal que luta com os rebeldes, matem-no! – gritava outro obrigado todos a ataca-la.

Mas ela ficava apenas a olhar para eles e eles sentiam como se não a pudessem atacar, uma atracção pelo animal que tentavam atacar, mas abanando a cabeça voltavam a si a tentando atacar, mas viam agora varias copias dela e todos falhavam  o seu ataque acertando o chão e com isso fazendo-o desmoronar caindo numa vala criada por Vee que já se tinha afastado do local.

Cada segundo parecia horas e os reforços não chegaram até que no céu via-se algo a aproximar  a grande velocidade como um cometa vermelho e outro azul.

-  Os Príncipes chegaram! – gritavam alguns dos rebeldes.

Os dois cometas passavam por todo o campo de combate a grande velocidade embatendo com as forças inimigas colocando todos em quem batiam foram de combate.

- Conseguiram dominar a outra? A onde está o resto do pessoal? – perguntavam alguns dos rebeldes

-Sem problemas e eles estão a chegar. respondeu Alibaba desfazendo a sua transformação flamejante tal igual Judal que já a tinha desactivado.

Ao longe atrás da linha dos rebeldes começavam-se a ouvir gritos, o resto dos reforços chegavam.

- Vamos!!  Terminemos esta batalha e esta noite de luta! gritou levando a sua mão esquerda ao chão levantando à sua frente  uma barreira  feito de pedra, impedindo o avanço das tropas inimigas que atacavam com as suas armas magicas ou não a parede criada pelo Alquimista.

O mesmo fazia Judal com uma barreira de gelo e ainda mais resistente e longa aguenta melhor os ataques.

-  Aos 3…. 1…..2….3! contou o Ferreiro

Ao mesmo tempo as barreiras se desfizeram a de gelo transformou-se numa onde de água e da pedra numa onda de areia levando o exército inimigo que estava do outro lado. Assim que começaram a ver os inimigos ser engolidos pelas ondas os rebeldes voltaram a avançar dando os golpes finais aos inimigos que estavam caídos depois e serem levados pelas mares.
Alibaba e Judal faziam o esmo avançando assim que as suas barreiras caiam, para o seu espanto quase no fim das linhas inimigas notaram, um grupo de inimigos muito mais imponente que os exércitos que haviam lutado até ao momento.

- Rebeldes, não estão autorizados a continuar esta tentativa fútil de tomar este Pais do nosso glorioso Rei! disse um deles.

- Eles são diferentes do resto dos soldados, Fiquem para trás nós tratamos deles!disse Barkak já ao lado de Judal e Alibaba Vamos Alibaba-ouji e Judal-ouji.disse o Líder dos rebeldes.

- Vee! gritou o animal aos pés dos pés

- Então vamos ser 4 contra eles. disse Alibaba abrindo um sorriso.

Os 4 lançaram-se contra o grupo do inimigos, Judal ficara 2 deles , Alibaba com 3 Barkak e Vee ficavam os dois juntos contra o ultimo.

Barkak tinha um estilo de combate de espada igual ao de Alibaba, afinal era ele que o tinha ensinado depois de o aprender do antigo Rei, era muito mais refinado que o do Ferreiro e com ajuda dos encantos de Vee, conseguia acertar alguns ataques perigoso no inimigo.
Judal enquanto voava na direção dos inimigos voltava a transformar-se chicoteando os seus alvos com um chicote de água com pequenos espigões de gelo, o ataque feroz fez alguns danos.
Alibaba com o numero maior bloqueava os ataques deles criando defesas de rocha através de alquimia e contra atacava com estocadas de espada em direção às juntas dos oponente, mesmo sendo 3 contra ele, não parecia ter problemas.
Mas os poder daquele grupo inimigo não vinha da sua força física. Eles todos caiam com ferimentos de varias magnitudes mas sem problemas voltavam-se a levantar voltando a investir ferozmente contra eles.

- Temos de lutar para os matar se não nunca acabará! disse o líder dos rebeldes, arfando de cansaço, tinha estado a lutar até aquele momento e já se esforçava ainda mais para combater aqueles resistentes oponentes que pareciam imortais.

- Concordo… respondeu Judal já na forma normal, tinha tido uma batalha antes de vir como reforço para aquela, não lhe restava muita energia, mas sabia que se a utiliza-se  iria mata-los facilmente.

Alibaba mantivera-se em silencio atacando como tinha estado a fazer durante toda a guerra, tentando não matar ninguém.
Barkak, Vee e Judal agora atacando para matar e com ataques ferozes Judal acabou por abrir um buraco na testa dos dois com quem lutava, Vee no seu lado criava uma abertura com que Barkak aproveitara para perfurar o peito do seu oponente. Só restavam os 3 de Alibaba que continuava a lutar para os derrotar e não matar.

- HAAA! gritava sem folgo enquanto voltava a deitar um dos 3 ao chão com um corte, mas novamente ele levantava-se e os outros 2 o atacavam pelos lados bloqueado os ataques com a espada e alquimia.

Estava em apuros a sua barreira de pedra feita com alquimia era destruía pelo ataque e um lado e do outro depois de bloquear o ataque com a espada caia no chão de rabo devido ao esforço físico. Estava cercado e agora os três o tentavam atacar para matar, fechou os olhos num movimento involuntário com medo e ouviu o som de explosões e metal a embater em metal. Quando abriu os olhos viu um no chão depois de levar com a bola negra lançado por Vee, Barkak e Judal bloquearam os outros dois ataques com a sua espada e ceptro.

- Alibaba-ouji, eu disse que era melhor não lutares se não tiveres pronto para matar. disse num tom terno e calmo enquanto fazia esforço para afastar a investida do  que tinha bloqueado o ataque.

- Alibaba! Isto é uma guerra é matar ou ser morto, já deverias saber que nem sempre existe outra saída! relhava Judal afastando também o terceiro inimigo.

- Vee? Vee… dizia o eevee ao lado de Alibaba apenas preocupado com ele.

- Ghaa…. Mas… dizia   enquanto se levantava.

- Mas nada, Quando lutamos com aquele Guerreiro na cidade subaquática não tiveste outra hipótese se não mata-lo, esta situação é igual, terás de  acabar por matar alguém nesta guerra, ainda falta grande parte do Pais e cada dia fica mais difícil, tens de parar de pensar que consegues ganhar sem fazer  maior sacrifício, de tirar a vida a outra! continuava  a gritar com ele.

- Esta bem!!!gritou  enquanto era envolvido em chamas transformando-se de novo e antes que qualquer um disse-lhe algo ele movia-se contra os dois restantes.

O que tinha sido derrubado por Vee era o primeiro e mais próximo, passou por ele com rapidez o atacando no processo, de seguida foi o que Judal tinha defendido,  com a sua velocidade, como que rodou à volta dele antes de partir para o ultimo  a onde simplesmente  deu um slash  ascendente, parando nas suas costas  voltando à forma normal e abaixando a cabeça enquanto guardava a lamina da sua espada na bainha.
Os 3 inimigos caíram no chão, o primeiro tinha um buraco estorricado no meio da testa, o segundo caia sem cabeça no chão e o terceiro com um corte que lhe partia o peito em dois.
O resto das tropas inimigas via a cena os seus generais tinham sido derrotados e com isso a sua vontade de lutar desapareceu apenas caindo de joelhos e rendendo-se, não tentaram recuar ou fugir.

Noite 500

- Sim, os rebeldes, como eram chamados lutaram para reconquistar este Pais desde dia 1, eu apenas cheguei  muito tempo depois e enchi as minhas mãos de sangue inimigo que tive de matar e aliados que morreram a combater ao meu lado. falou abaixando a cabeça As batalhas apenas com as forças dos rebeldes duraram grande parte deste do tempo enquanto tive aqui a lutar por vocês. Mas existe mais uma força  que foi essencial para a vitoria e diminuição das mortes inocentes. -  disse  acabando por olhar para a pequena rapariga que tinha iniciado a magia de som.
avatar
Syaoran

Mensagens : 749
Data de inscrição : 18/05/2014
Idade : 23
Localização : Matosinhos

Ficha do personagem
Nome:: Alibaba Saluja
Stats:
Estilos:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [King Vessel] Navio

Mensagem por Syaoran em Dom 1 Jun 2014 - 21:36


Noite 500

- Sem eles teríamos tido muitas mais casualidades ainda mais quando atacamos a capital, os Magos da Academia magica foram  essenciais para a segurança da maioria de vocês, principalmente os que vivem na capital e arredores. falou

Spoiler:



Noite 301

- Faltam poucos locais até chegamos à capital, mas de certeza que se continuamos como sempre fizemos os inocentes serão envolvidos.disse Bakak o Líder dos rebeldes.

- Então pedimos ajuda há Academia Magica. disse Judal

- Tal como o Alibaba –ouji teorizou, eles fizeram um acordo com o Governador, eles em troca de serem mantidos neutros estão a fornecer-lhes equipamentos magicos para serem utilziados pelo exercito e vendidos para algum lucro para. Eles não nos vão ajudar. disse o Homem batendo com as mãos na mesa  com o mapa do País que agora estava muito diferente, a maioria do País já havia sido conquistado e até ao momento não sabiam se alguma mensagem para reforços tinha saído.

-  Judal, pensas que conseguimos a ajuda deles? perguntou Alibaba que estava sentado a ler, estava um pouco diferente, mais calmo, nos tempos que se seguiram à noite em que ele fora obrigado a matar inimigos já tinha morto muitos mais e apesar da culpa, como comerciante e alquimista sabia que se queria ter algo tinha de dar algo em troca, mesmo sendo vidas de outros.

- Sim, eu tive lá, mesmo que aquele Director Velho Rabugento, não seja fiel ao Reinado do meu Pai, ele conhece-me e acho que estaria disposto a ajudar um dos seus aprendizes. disse Judal

- Muito bem, tentaremos, ir à Academia, caso eles não nos recebam, iremos invadir e obrigar-los a falar connosco. decidiu Alibaba voltando à leitura.

- Sim! – disseram Judal e Barkak aceitando a decisão.

Noite 304

- Ouji! Estamos prontos , se eles não nos receberem iremos invadir tal como decidiu. – disse um ros Rebeldes.

O grupo de Rebeldes que no inicio era apenas um monte de gente sem trieno agora tinha o aspecto de um real exercito, principalmente porque muitos dos inimigos para escapar a morte juraram fidelidade e agora trabalhavam para eles.

- Sim, e o meu nome é Alibaba Saluja, disse Alibaba começou a andar na direcção da Academia atrás de si tinha Judal, Barkak, Vee ao seu ombro e alguns dos rebeldes mais fieis.

Era óbvio que os Magos da Academia já os tinham detectados eles tinham montado uma base provisória perto da academia.

- Magos!! O meu nome é Alibaba-Saluja, filho bastardo do Antigo Rei de Balbadd, quero falar com o vosso Líder! berrou

Uma luz intensa surgiu em frente do grupo e dela saiu uma voz velha e seca.

- Não,para nossa segurança iremos ficar neutros nesta guerra, mesmo sendo um filho do Rei não temos obrigação de o ajudar, agora vão embora. – disse a voz

- Devem já saber que temos  os nossos homens aqui perto prontos para invadir, para diminuir as casualidades dos dois lados seria mais simples falar-mos e tentar chegar a um acordo.tentou negociar o Alquimista.

- A academia é impenetrável, as únicas casualidades que podem existir neste confronto é do vosso lado. – falou novamente a luz e de seguida extinguiu-se

Alibaba sacou  a sua espada e  a apontou para o céu lançando uma nuvem de chamas que iluminou aquela noite  dando sinal para o ataque. Os gritos começaram a ecoar e os Rebeldes apareceram. Correndo na direcção da Academia. O grupo que estava à frente com Alibaba começou a avançar também. Mas na sua frente tinha uma barreira magica.

- Barreiras Magicas, podem ser forte e ter poucos pontos fracos, mas é como uma barreira normal. Se a atacamos  um ponto fixo, ela acabará por ceder. aconselhou Judal

- Muito bem… Todos comigo… disse Barkak que já levava  a sua espada a trás atacando a barreira à sua frente.

Os Rebeldes faziam o mesmo atacando aproximadamente a mesma zona, Vee lançava a sua bola negra,  Judal os seus bombardiamentos  de gelo. Já Alibaba fazia o mesmo e levando a sua espada atrás a lançava a frente como multiplicando os seus braços apra tentar quebrar a barreira.
A principio a barreira parecia não ceder, mas com a ajuda dos rebeldes que chegavam  das linhas trazeiras começava-se a notar pequenas rajas que se formavam e com isso uma ofensiva por parte dos Magos.
Lasers de energia começavam a ser disparados contra eles, os obrigado a ter de desviar rompendo a formação.

- Judal… Vamos. disse  Alibaba  colocando a sua mão com o símbolo alquimia atrás das costas e  a espada com a lamina erguida junto ao peito Alibaba Saluja, 1º Príncipe do Reino perdido de Balbadd exige o teu poder para mudar o destino!rogou enquanto o seu corpo voltava a ser envolto em chamas.

- Judal Ren, 2º Príncipe do Reino perdido de Balbadd exige o teu poder para servir o meu Rei rogou também Judal sendo envolto em água.

Os dois transformavam-se, durante aquela guerra tinha sido algo comum e essencial em momentos para a vitoria e parecia que desta vez também seria. Os dois combinaram os seus poderes e lançaram os seus ataques mais poderosos contra a zona debilitada da barreira. Judal lançava um enorme seta de gelo e Alibaba com a sua espada flamejante dava varios estocadas poderosas.
Finalmente aquela zona da barreira cedeu e com isso toda a barreira desapareceu dando assim chance para as forças avançarem, Judal e Alibaba foram por ar indo rapidamente em direcção à Academia, viam sair dela varios magos que começavam a ataca-los.

-  HAAA! gritava lançando mais um ataque flamejante,

Judal lançava os seus espigões de gelo para ferir os magos, tudo parecia melhor agora as forças dos rebeldes estavam a ir em frente cada vez mais próximos da Academia, mesmo com os Magos à sua frente.
Alibaba passava pelos magos fazendo cortes superficiais, sabia que poderia tentar mata-los, mas se fizesse isso com certeza não teria o apoio que queria, Judal, por sua vez fazia ataques mais leves, ele tinha sido um estudante ali e mesmo não se importante com ninguém naquela escola, não queria perder o seu apoio naquela guerra.
A Batalha continuava já havia quedas dos dois lados. Até que finalmente a luz voltaram em cima do campo de batalha.

- Judal tu estás com os rebeldes? – disse a voz

- Sim, o Alibaba Saluja é meu irmão, melhor amigo e Rei, ficarei ao lado dele mesmo que tenha de destruir esta Academia! gritou  o mago

- Judal…murmurou Alibaba não sabia se deveria ficar feliz ou triste, com aquilo ele faria qualquer coisa por ele, isso podia ser utilizado para o bem e mal.

A voz ficou calada por alguns momentos  e Alibaba e Judal que voavam permaneciam parados esperando uma resposta, o resto da batalha continuava.

- Parem!! Deixem o Principe e o Bastardo entrar. – disse a voz.

- Recuem agora, Nós vamos entrar esperem cá fora. disse Alibaba fazendo o seu lado do confronto parar.

Desceram ao solo voltando á sua forma original e sendo recebidos por Barkak e Vee que lutavam no chão.

- Tem certeza que só vão vocês os dois lá dentro? Pode ser uma armadilha. disse Barkak

- Que achas Judal? perguntou Alibaba enquanto era trepado por Vee que decidira que iria com eles.

- Eu vou entrar. respondeu o mago começando a andar.

Alibaba sorriu e o segiu, passaram pelos magos que até agora estiveram a lutar contra os rebeldes, todos eles tinham os olhos postos em Judal murmurando entre si sobre as razões que o levara a fazer aquilo.
Um Portal formou-se no local que seria a entrada da Academia e os 3 passaram por este vendo-se agora dentro da luxuosa escola magica.

- Judal-ouji, lamento, a informação da guerra que nos chega não dizia nada sobre a  sua participação, apenas falavam do bastardo e do guarda real, pensávamos que tinha sido morto com a família real. – disse uma mulher que os recebia do lado de dentro.

- Tudo bem Sensei a onde está o Director? perguntou

- O Director morreu, devido à guerra suspendemos a escola e apenas a utilizamos como exilo para os magos o nosso líder é o mago mais poderoso entre nós. – informou a mulher enquanto os acompanhava pela escola.

Alibaba mantinha-se em silencio apenas olhando em volta vendo  as vistas, dentro via jovens magos ainda mais novos que ele que os olhavam um pouco assustados ele tentava sorria para eles mas parecia que apenas os fazia ficar com ainda mais medo.
Foram levados até uma enorme porta a sala do Director e foram aconselhados a entrar e assim o fizeram, apenas os 3 entraram e a porta fechou-se atrás de si, dentro daquela sala podia-se ver uma poltrona e alguém sentado nela.

-… judal começou a tentar conter  risadas ao reconhecer quem era.

Uma rapariga parecia ainda mais nova que os jovens magos que viram enquanto andavam pela escola, ela era a Líder dos magos?

líder? Ela é a líder deles? disse Alibaba aproximando-se da rapariga que estava sentada na poltrona os olhando com ar superior Quantos anos tens? 10?perguntou um pouco confuso

- dezanovemurmurou a rapariga um pouco assustada com a presença dos dois

- O quê? 9? deu outro palpite começando a ouvir as risadas de Judal com a situação.

- Porque estás a descer a idade!!  Tenho 19!! O meu nome é Naomi Nomura! Respeito sou o mago mais poderoso desta escola! berrou a rapariga levantando-se dando pela cintura do ferreiro

-  Não sejas rude com a Senpai.Ela já era considerada uma das mais mortes da academia enquanto eu andava cá e se o Director morreu, acho que não é surpresa que ela seja agora a mais forte. disse Judal

- Hm hm! disse a rapariga afirmativamente cheia de gloria  com o peito para fora

- Mas parece que poder não é sabedoria, ela ainda é uma criança. – gozou  Judal começando a rir

- HeY!! Eu sou a tua senpai, mesmo quando estava aqui já era de escalões a cima, por isso tens de me respeitar! disse enervada.

Alibaba não resistiu e começou a rir também  passando a mão pela cabeça da rapariga à sua frente enquanto se ria.

- Está bem, se és a Senpai  do Judal és minha Senpai também, então podemos falar? falou no meio das risadas sentando-se na poltrona a onde a rapariga estava sentada e pegando nela pelos braços sento-a no  seu colo.

- Hey Hey! Que estás a fazer?! gritou debatendo-se enquanto era levantada do chão e sentada, a sua cara estava vermelha  e depois de ser sentada apenas ficou.

Judal sentou-se num assento próximo e Vee que no momento de Alibaba para se sentar tinha saltado para o chão subiu para o colo de Judal.

- Vocês andaram a vender coisas ao Reino invasor?começou logo com uma seria

- Isso…  Foi o Director, ainda vivo, para nos proteger fez um acordo com o Governador em troca de ficarmos neutros iríamos produzir armas para eles. respondeu, não tinha orgulho naquilo, mas tinham ficado em segurança por esse acordo Mas depois do Director morrer eu decidir parar de lhes fornecer essas armas. terminou

- Hooo… boa menina. disse acariciando a cabeça da rapariga.

- Sim… sim… a Naomi é uma boa menina… …. …  Hey eu sou a tua Senpai! Para de me tratar como uma criança! berrou a rapariga

- Hahaha, desculpa, desculpa. Mas então… Podes ajudar-nos a tomar o Reino? Com a vossa ajuda será ainda mais fácil tomar os arredores da capital e a própria capital colocou  a sua proposta na mesa

- Não sei…Isso colocaria a Academia Magica em perigo… Não sei estou disposta a fazer isso. disse a maga

- Mas se tu disseste que paraste de fornecer armas magicas a eles, de certeza de mais tarde ou mais cedo eles irão  atacar  este lugar, e mesmo que volte a fornecer, nadas lhes promete que eles não atacaram na mesma, afinal eles dominaram um País completo e continuam a aumentar o seu território.disse Judal.

- Sim… mas enquanto consegui-mos manter-nos seguros chega. disse a rapariga.

- Eles tem um acordo com vocês se vocês lhes fabricarem equipamento magico eles não vos fazem nada. Então se vocês nos ajudarem a tomar o País, voltará a ser como ela o País voltará a ajudar-vos acho que é melhor que agora, apenas precisam-se de esforçar um pouco mais agora.disse  Alibaba tentando-a convencer.

- Não sei, teria de tentar falar com a Academia num geral.disse ainda indecisa.

- Então está bem fala, nós vamos embora e esperar a vossa resposta. disse Alibaba levantando novamente a rapariga e se levando a sai e sentando na poltrona.

- Desculpem, mas não poderão sair, não é que desconfie de vocês, mas tal como o Governador, nós não sabemos se os Rebeldes não nos vão atacar. disse a rapariga, os seus olhos brilharam e tanto Judal como Alibaba sentiram-se paralisados, Vee saltou para o chão assustada preparando-se para a atacar.

- Vamos ser prisioneiros? disse Judal

- Lamento… desculpou-se a rapariga

- Que tal não saímos  mas pelo menos mandamos os rebeldes embora, eles não vão atacar com o risco das nossas vidas. disse Alibaba

- Isso…novamente os olhos brilharam e os dois voltaram-se a poder mexer Mandem-os embora e fiquem aqui até à academia ter uma resposta disse a rapariga.

- Ok ok… aceitou Aliabba Deixa-me pelo menos aparecer lá fora para não os preocupar. – pediu Alibaba

Recebeu a permissão e saiu da academia juntando-se com os Rebeldes, os mandou voltarem para a base e não se preocuparem com ele, que estava tudo bem só que as negociações iria demorar um pouco mais do que desejado. E assim o terreno em torno da Academia voltou a ficar deserto.
Voltou para dentro da Academia deparando-se com as mesmas crianças que estavam com medo dela molestavam Vee, o acariciado-a ferozmente, esta  ginchava, por ter tanta gente em cima dela.

- hahaha.. Ganha a confiança deles vai. murmurou enquanto caminhava pela escola agora sozinho, Judal havia ficado lá dentro enquanto ele tinha ido avisar os rebeldes, deveria estar a tentar descobrir mais sobre o falecido Director.

Continuou meio perdido pela enorme escola até que viu a maior sala de toda a academia, podia dizer-se que era mais de metade da academia, a biblioteca, cheio de informação, curião e sem mais nada para fazer entrou,estava estava vazia, caminhou pelas estantes, tinham mecanismos de voo para chegar às estantes mais altas e até tinham um index global para procurar o que queria, ficou ali dentro.

Noite 306

- Alibaba… - chamou Judal

- Diz? – perguntou o ferreiro  abaixando um pouco os óculos mágicos que tinham lhe sido emprestados para ler, aumentavam a velocidade da leitura

- Que estás a ler? perguntou a maga, sentando-se no seu colo olhando para o livro Alquimia? Haa o Judal falou-me  tu para alem de espadachim sabes alquimia e consegues criar itens como ferreiro e artigos mágicos os encantando. Ès multi-funções hahaha ria-se a rapariga

-Sim, já agora obrigado pelos óculos, tornaram a leitura muito mais rápida e fácil.agradeceu o rapaz.

- De nada, terás de me recompensar mais tarde, agora temos de ir para o salão, iremos falar sobre a tua proposta e tomar a nossa decisão, apenas peço que fiquem em silencio.avisou a rapariga saltando para o chão e começando a sair da biblioteca.

Foram para o salão a onde foram recebido por todos os magos da academia, era muitos mesmo, mas não o suficientes para encher um lugar tão grande como a academia.

- Estamos aqui para falar sobre a decisão que temos de tomar.  Ajudar os Rebeldes, ou manter-nos neutros. Já receberam as informações todas que temos. Se ajudar-mos os rebeldes o Alibaba-ouji promete que o País irá ajudar a Academia  como puder, voltaremos a ser como éramos sem ter de nos esforçar para fazer artigos mágicos para dar ao Governador. Se  não ajudar-mos os Rebeldes teremos de voltar a fazer as armas magicas para dar ao Governador, antes que ele decida nos atacar e mesmo assim não temos nenhuma garantia que ele não o fará.falou Naomi resumindo tudo a todos.

O murmuro começou, muitos estavam com medo de ter de ir para a guerra, outros preferiam não fazer nada e ainda havia aqueles que queria que a academia volta-se a ser como ela e deveriam ir para a guerra.
De murmuros passou a protestos das diferentes  partes Naomi ficou sem saber o que fazer.  Até que uma voz calou todos.

- Halo… Haloo isto está a funcionar certo?perguntou Alibaba estava ao lado de Naomi utilizando a magia de som para se fazer ouvir Vocês devem conhecer o Judal, mas a mim não, poucos de vocês tiveram a oportunidade de falar ou conhecer-me, mas talvez nos possamos tornar amigos.  Acho que muitos mais conhecem a Vee do que a mim, afinal fiquei este tempo que tive aqui na Biblioteca, desculpem se por eu estar lá vocês ficaram com medo de ir. falou um pouco atrapalhado Mas por favor ajudem-me a colocar este País em ordem, não estou a dizer para me seguirem… apenas para andarem ao meu lado. Por favor. pediu

A sala ficou em silencio todos olhando para o rapaz enquanto ele voltava-se a sentar, assim que ele se sentou  a Naomi olhou para todos os magos na sala e então fez a pergunta.

- Quem está a favor de nos mantemos neutros voltando a fazer armas para o Governador?  nenhuma alma viva se manifestou Quem está a favor de nos mantermos neutros não fazendo armas para o Governador, mas correndo o risco de sermos atacados?  novamente ninguém se manifestou Quem está a favor de ajudar  os Rebeldes? fez a ultima proposta, mas novamente ninguém se manifestou.

A sala continuava em silencio nenhuma dos caminhos eram aceites.

- Alibaba e agora? perguntou Naomi olhando para o Ferreiro

Judal levantou-se e foi até à magia de som respirando fundo antes de falar.

- Então quem está disposto a ajudar a mim e ao Alibaba?deu mais uma proposta e a resposta foi esmagadora.

Todos se levantaram e como um rugido deram a sua resposta. Alibaba começou a rir-se parecia que tinham mais aliados poderia ficar mais fácil a conquista a partir de agora, mas Alibaba tinha mais um pedido foi até Judal e falou também através da magia.

- Podem só dar mais uma ajuda e deixarem a base dos rebeldes passar para aqui perto? Não é preciso ser cá dentro. Mas esta zona é mais próxima dos nossos próximos alvos e até da capital seria melhor vir daqui do que fazer uma longa caminhada de outra zona.pediu

- Alibaba-sama, Acho que falo por todos, a Academia é tua aliada ou seja é aliada dos Rebeldes vamos trabalhar todos para o mesmo lado! – gritou um dos magos da plateia.

- Obrigado, Alibaba-san chega. - agradeceu

Noite 307

- Haaaa…. bocejou deitado na cama de um dos dormitório da Academia, já tinha mobilizado as forças principais dos rebeldes para perto da Academia e a partir de agora poderiam trabalhar juntos todos para tomar o Reino

Alguém bateu à porta do quarto e Alibaba deu a autorização para entrar. A porta se abriu mas parecia que ninguém entrava e esta voltou a fechar-se

- Hmm? Ninguém, devo estar a ver e ouvir coisas. disse Alibaba virando-se para o outro lado preparando-se para dormir, mas assim que fez isso, sentiu uma grande dor nas costas

- Não gozes com a minha altura!gritou dando-lhe um pontapé nas costas

- Naomi… que queres?perguntou em dores enquanto se virava para ela.

- Eu disse que irias-me recompensar mais tarde, Alibaba-samadisse a rapariga em cima do rapaz

- Haa? Como assim o que queres? Caricias? Dormir comigo?perguntou  passando a mão pela cara da rapariga acabando por acariciar a cabeça da mesma

- S-sim.. respondeu com a cara corada

- Está bem… falou num tom normal levantando-a colocando ao seu lado e de seguida afastando-se um pouco.  Boa noite Noami-channovamente sentiu dor nas costas.

- Eu não quero dizer assim! Pára de me tratar como uma criança! gritou, os seus olhos brilharam e Alibaba sentiu-se novamente paralisado. Voltando a se colocar em cima dele

- Hahaha… Noami-chan, já saíste alguma vez deste País?perguntou não se preocupando por estar paralisado.

-  Não… porquê? perguntou um pouco confusa enquanto tentava tirar a camisola do rapaz

- Não tens curiosidade para ver como é o resto do mundo, de certeza que encontrarias muita gente interessante e passarias por aventuras engraçadas. falava normalmente como se não se importa-se com o que estava a acontecer Quando deixei a minha família para trás, estava cheio de medo, não sabia o que me ia acontecer mas encontrei pessoas interessantes fiz amizades, queria que conhecesses a Obassan e a Sakura e a gente toda que conheci em Fuyuki, de certeza que irias gostar deles. continuou a falar.

A rapariga já tinha tirado a camisola ao rapaz mas ao ouvir aquilo parou os seus olhos voltaram a brilhar e Alibaba teve controlo do seu corpo novamente.

- O que viste? perguntou a rapariga saindo se cima do rapaz se sentando ao lado dele na cama.

- Não vou dizer que foram todas experiencias felizes. Mas tive a oportunidade de participar num torneio em que fui derrotado facilmente e também fui a uma cidade antiga debaixo do mar. Haaa no meio primeiro dia em Fuyuki, acho que conheci  Athenas. disse abrindo um sorriso

- Athenas? Estás a falar da Deusa? perguntou curiosa

- Sim, penso que ela era a verdadeira. respondeu

- Conta-me mais. pediu Naomi

O rapaz começou  a contar algumas das suas aventuras fora daquele País. Contou da primeira vez quando se livrou dos mercenários que tinham as 15 tribos sobre o seu poder, do torneio e a Dark guild e até da cidade subaquática, como conhecera Vee entre outras coisas.
Quando era por si a rapariga já tinha adormecido.

- Boa noite… disse  puxando os cobertores para cima dela e saindo do quarto indo para a biblioteca.

Continuou a sua leitura até ser interrompido novamente, desta vez por Judal

- Ela foi até ao teu quarto não foi?perguntou ele apesar de pela sua cara já saber a resposta.

- Sim, tenho pena dela. Mas não posso. respondeu  coçando a cabeça.

- Depois disto tudo ainda pensas em voltar, já passou quase um ano, talvez ela já te tenha esquecido. disse  Judal

- Se isso aconteceu, é uma pena, mas mesmo assim vou voltar depois de por este País em ordem. disse  num tom serio.

- Ok então, boa noite vou tentar dormir, diz-lhe na próxima vez para não fazer tanto barulho. despediu-se abandonado o seu irmão ali.

Alibaba passou a noite naquele ali a noite assim que se viu sozinho suspirou tinha-se livrado de boa de ser violado e tinha de pensar no rumo que tinha de tomar, na guerra, mesmo que dominassem tudo há volta da capital é totalmente diferente, sabia que eles sacrificariam pessoas inocentes durante a batalha tinha de pensar numa maneira de isso não acontecesse.

Noite 370

- Judal! Naomi! Agora!!gritou  Alibaba no meio do campo de batalha.

Os olhos de Naomi brilharam e grande parte dos soldados inimigos raparam, o resto começou a ser congelado pela magia de Judal e alguns foram impedidos de continuar a marcha tendo as suas pernas envoltas em rocha devido à alquimia de Alibaba. Com isso o resto das forças tanto magos como dos rebeldes atacaram os inimigos indefesos os derrubados.
Os inimigos já com muitas baixas fugiram abandonado aquela vila.

- Mais uma zona retomada!gritou  Barkak

De longe no ar veio a grande velocidade alguém, um mago que parou em frente a Naomi lhe  dizendo algo que a deixou pálida.

- Alibaba-sama, reforços, chegaram reforços dos inimigos aprece que conseguiram sair algum tipo de mensagem para o exterior. avisou.

- Não, já não nos bastava os vários milhares de tropas na capital ainda chegou mais reforços? Sabem quantos são? perguntou

- Não sabemos ao certo, eles vieram do mar, mas são cerca de 500 Galeões enormes, deve passar os milhares facilmente se tivessem cheios. – disse o mago – Mas parece que eles não vão tentar reconquistar eles estão a ir diretos para a capital. – disse

Se eles fossem se estacionar aquelas tropas na capital, tornaria mais difícil toma-la mas pelo menos não teriam de se preocupar com elas agora, todos tanto magos como rebeldes estavam desgastados depois de tanta guerra e tropas frescas seriam perigosas.

- Voltemos para a Base para pensar o plano de Acção! ordenou mobilizando as tropas.

Já na base o grupo principal, sendo composto por Judal, Alibaba, Barkak, Naomi e alguns oficieias e professores dos rebeldes e academia começava a discutir o plano de acção.

- Aquilo que metemos em pratica vai demorar muito? perguntou Alibaba

- Nós já conseguimos tirar grande parte dos civis da capital, foi mais fácil devido a obrigarem a ninguém sair de casa apenas saindo para ir buscar alimentos. Mas ainda demoraria alguns meses até tirarmos todos os da capital sem ninguém notar.respondeu Naomi

- Hmm, talvez não tenhamos tanto tempo e com mais tropas no local temos de nos apressar a dominar os poucos povoados em volta da Capital antes que se torne ainda mais difícil. disse Barkak

- As forças dos magos estão quase esgotados se continuamos a os fazer lutar tanto eles vão cair em pleno campo de batalha. – disse um dos professores

- O mesmo para os rebeldes. – disse um dos generais dos rebeldes.

Varias ideias foram dadas para como agir, mas Alibaba e Judal mantinham-se calados, Judal a olhar Alibaba, sabia que ele estava a tentar ter alguma ideia.

-  Na capital será mais simples, e menos desgastante para todos, apenas peço que se esforcem os rebeldes e os magos de ataque para tomamos o que falta em torno da capital, e as forças de resgates dos magos que se apresse a tirar todos os civis da capital disse Alibaba não esclarecendo muito.

- Que estás a pensar Alibaba? perguntou Judal

- Não precisam saber ao certo, apenas quero que me ajudem a acabar de conquistar o que falta e sobre a capital esclarecerei depois quando a altura for certa.disse Alibaba

Todos concordaram tinha confiança no 1º Príncipe, mas ainda precisavam de todos se esforçar até ao dia que tomariam a capital e com isso todo o País.

Noite 500

- No inicio os Magos foram nossos inimigos tivemos de os combater mas finalmente chegamos a um consenso antes que houve-se danos irreversíveis dos dois lados e graças a isso a nossa aliança permitiu um avanço mais rápido na conquista deste País. Mas mesmo com a ajuda deles tudo  não se tornou mais fácil.falou o rapaz abaixando a cabeçaPensei que tinha perdido algo muito importante para mim que me fez seguir um caminho escuro que poderia ter levado a muitas mais mortes inocentes. falou levando as mãos à cara.
avatar
Syaoran

Mensagens : 749
Data de inscrição : 18/05/2014
Idade : 23
Localização : Matosinhos

Ficha do personagem
Nome:: Alibaba Saluja
Stats:
Estilos:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [King Vessel] Navio

Mensagem por Syaoran em Seg 2 Jun 2014 - 19:12


https://www.youtube.com/watch?v=eRJnQ1iw-ys

Noite 500

- Eu pensei que teria perdido algo insubstituível, e perdi a direcção que estava a tomar para meta, que era restaurar este país. disse com um tom de culpa.

Spoiler:



Noite 405

Estavam numa sala de aulas pratica dentro da Academia Magica, aquela hora todos já estavam a dormir ou pelo menos a tentar, a cada dia que passava mais próximos estavam de terminar a Guerra.

- Faltam poucas batalhas não é?perguntou Alibaba

- Tal-vez… dizia Judal enquanto batia com o bastão no chão sendo rodeado por água.

O mago agora estava dentro de uma bola de água, não se estava a transformar, mas sim a controlar a água à sua volta a moldado naquele efeito. Começava a caminhar pela sala tentando manter a água à sua volta.

- Amanhã iremos conquistar mais uma das zonas perto da capital, não deverias estar a gastar-te agora, mas sim a descansar para estares fresco. aconselhou o Ferreiro de braços cruzados encostado a uma das quatro paredes da sala.

- Desde que voltei à academia tenho feito isto todas as noites em que não estamos lá fora e nunca me prejudicou nas batalhas dos dias seguintes. Acho que apenas me ajudou a ficar mais preparado.respondeu ainda andando pela sala com a água à sua volta, mas num passo mais rápido

- Sim, eu sei que tens treinado bastante e tens dado tudo nas batalhas, mas cada vez elas são mais difíceis, para alem disso com os novos reforços que agora se juntam há defesa das zonas restantes, temos muitos mais inimigos para combater. disse Alibaba

- Podes ter razão, mas como a ti te relaxa criar coisas a mim relaxa-me utilizar os meus poderes. Pensas que não sei que sempre que podes tentas utilizar restos de coisas que encontras para criar alguns objectos. retrucou o mago rapando e respirando fundo balançando o ceptro aumentado a quantidade de água à sua volta, notava-se a dificuldade no processo, normalmente não utilizava o seu controlo sobre o elemento daquela maneira, apenas o lançava como projecteis e quando os controlava constantemente como agora eram em muito menos quantidade.

– Hahaha…desculpa então.disse rindo-se descruzando os braços e deixando-se escorrer pela parede atrás de si sentando-se no chão.

- Já agora qual foi o plano que pensaste e que ainda não revelaste a ninguém? perguntou Judal já havia passado mais de um mês e ele não tinha dito nada.

- Uma estratégia básica de guerra, se tiramos a cabeça o corpo pára de se mexer certo. falou dando um exemplo meio macabro.

- Estás a pensar mata-los a todos? perguntou surpreendido ainda nos seus exercícios.

- Não!, Claro que não, se o puder impedir. Lembras-te o que os Mercenários queriam fazer com a Obassan. Eles queriam tomar o poder politico dela e assim dominar as 15 tribos. relembrou, olhando a cabeça Nem sempre se pode agir como um Herói e derrotar todos os inimigos à nossa frente até chegar ao líder, muitas vezes tempos de ir até ao líder vence-los e o resto foge. disse suspirando

- Então estás a dizer que durante o assalto à capital vais abandonar os Magos e os Rebeldes e ir para o Palácio em busca do Governador? Isso é suicídio, dentro do palácio deve ter mais tropas em volta dele do que nas ruas durante a guerra. disse Judal preocupado

- Sim, por isso disse que eles só se deveriam de esforçar até ao assalto à capital, já que eu irei sozinho para o Palácio. Não tem outra maneira, numa luta independente do que aconteça seriamos dizimados pelos números deles mesmo antes de chegamos ao Palácio todos. Mais vale apenas um ir e capturar o Governador e assim parar as tropas inimigas. – explicou o alquimista

- Não irás sozinho eu irei também. disse desfazendo a água ao seu redor.

- Estava com esperanças que dissesses isso. Obrigado. disse sorrindo

- Mas deves saber que iremos estar a ir para a nossa morte, não é? – disse Judal.

- Sim, mas a morte já não me assusta, escapei dela varias vezes já, desta vez não será diferente, e trarei-te comigo. disse começando-se a rir

- Estás a dizer que não podes ser morto? Convencido… disse sentando-se ao lado de Alibaba começando-se a rir

- Não, apenas que tenho muita sorte e que nem o destino consegue acabar comigo.disse coçando a cabeça.

A porta da sala abriu-se e duas figuras entraram, a primeira pequena e magra e a segunda alta e grossa, eram Naomi e Barkak.

- Então estão aqui. Tambem não conseguem dormir Princípes?perguntou o Lider dos Rebeldes.

- Alibaba-sama, eu estava à sua espera no teu quarto e nunca mais aparecias. disse zangada olhando o rapaz.

- Sim, não conseguimos dormir, deve ser de já conseguir-mos ver a linha da meta.disse Judal.

- Desculpa Naomi-chan, mas acho que não tenho mais historias para te contar.desculpou-se sorrindo.

- Se não tens mais historias podemos fazer outras coisas. disse sentando-se no colo do Ferreiro.

- Haa… bocejou Judal começando-se a levantar - Parece que o sono finalmente apareceu, boa noite. disse olhando de lado para Alibaba.

- Espera eu vou contigo. disse Alibaba tirando a rapariga de cima de si e levantando-se também – Boa noite vemos-nos amanhã. despediu-se

- Boa Noite para vocês.desejou também o mago saindo seguido por Alibaba

- Boa noite Príncipes. disse Barkak

- Boa… noite Alibaba-sama, Judal. disse meia desiludida.

Alibaba foram até aos seus quartos ficavam um ao lado do outro, pareciam que estavam sozinhos.

- Obrigado Judal, salvas-te-me. agradeceu

- De nada , sei que gostas deles maiores. Mas eu estou mesmo com sono, Boa noite Alibaba. Não penses que ela vai desistir.desejou o Judal

- Eu sei que não, mesmo assim obrigado. Boa noite Judal.desejou também, batendo punhos com Judal e abrindo a porta do seu quarto.

Judal andou mais um pouco até à porta do seu quarto e entrou também. Ambos se deitaram sem problemas e durante aquela noite mais nada se passou.

Noite 406

- Aguentem! Aguentem!gritava o Líder de rebeldes enquanto trocava golpes com alguns dos soldados inimigos.

Era a maior batalha até ao momento naquela guerra, apenas as tropas inimigas eram mais do que qualquer numero de combatentes nos outros combates pela guerra.

- Quanto é que eles já nos fizeram recuar?!perguntava aos berros Alibaba no meio dos seus ataques que derrubavam os seus oponentes.

- Já estamos a alguns quilómetros da cidade que deveríamos tomar, se continuamos a ser empurrados iremos parar ao mar. disse Judal lançando um dos seus projecteis de gelo que derrubava varios dos soldados inimigos.

- Já caíram tantos! Mais tem ainda mais de pé a investirem sobre nós!gritou a Líder dos Magos.

Estava uma batalha difícil, havia começado durante a manhã e espantosamente eles do centro da cidade que iriam tomar foram empurrados até varios quilómetros das fronteiras da cidade e já com a lua no céu parecia que não tinha fim aquele luta.

-(Não podemos aguentar mais, teremos de fugir, mas não podemos fugir para a Academia temos lá muitos inocentes e feridos.) – - pensava o Ferreiro, tinham de tomar uma decisão, sabia que eles não desistiriam de os perseguir daquela zona até à Academia, mas talvez se fosse uma distancia maior talvez desistissem com medo que fosse um plano para tomar a cidade enquanto eles estavam-los a perseguir – Mar… Isso… disse afastando os seus oponente e tentando-se passar pelos outros duelos para se aproximar de Barkak Sensei, se continuamos a ser empurrados assim iremos dar a onde? perguntava ajudando o Líder dos Rebeldes com os seus oponente.

- Vamos dar à vila pescatoria. Mas ainda é muito longe, seriamos derrotados antes de sermos empurrados até lá. E também não tem lá ninguém, os civis foram todos levados para outros lugares e os poucos rebeldes que deixamos lá não nos ajudariam. disse Barkak no meio dos seus combates.

https://www.youtube.com/watch?v=_8OaiTN1K0E

- Ok, obrigadodisse enquanto começava as suas preces - Alibaba Saluja, 1º Príncipe do Reino perdido de Balbadd, exige o teu poder para mudar o destino! falou enquanto as suas pernas de braços eram envoltos em chamas e transformados em lutas e botas flamejantes, olhou para Judal que lutava no meio do ar e enchei os seus pulmões Pessoal! Recuar!!gritou com a toda a força dos seus pulmões começando a se ir em direção da vila que Barkak havia falado.

Sem nem pensarem tantos os Magos como os Rebeldes o seguiram fugindo da batalha, estavam a se retirar e como previsto os inimigos queriam acabar com eles agora e grande maioria os perseguiu. Eram perdidas forças dos rebeldes e magos na fuga, mas tinham de continuar aquilo era uma maneira de ainda terem chance de terminarem aquela noite com uma vitoria.
Chegaram à vila depois de muito correr, estavam próximos do mar e para sua sorte as forças inimigas estavam menores, eram ainda assim muitos mais que eles, mas alguns haviam ficado para trás.

- HAAA gritou começando o contra ataque depois de tanto tempo a fugir. ergueu a sua espada e de seguida a fazer descer com força lançando uma onda de chamas contra os inimigos.

A batalha recomeçava, eles continuavam em desvantagem e a perder, mesmo tendo fugido e diminuído as tropas inimigas, para não falar no cansaço geral depois do dia inteiro a lutar para sobreviverem.

- Haaa.. haaa… arfava esgotado, estava na sua forma normal no chão esforçando-se para combater os seus oponente que pareciam ainda no topo da sua forma, era de esperar com tantas tropas eles podiam rodar entre si dando tempo para alguns descansar.

Olhou para os seus companheiros mais próximos Naomi apesar do seu poder e talento como maga estava esgotada também e com dificuldade. Barkak que tinha agora ajuda de Vee para combater os seus inimigos estava esgotado assim como Vee e os dois começavam a ser derrotados nas trocas de ataques. Judal igualmente a sua reserva de energia estava nos limites e potencia dos seus ataques tinha caído drasticamente.

- Vamos ter de recorrer a isto… murmurou para si

Spoiler:



Noite 387

- Alibaba-sama, tu é que fizeste e encantaste a tua espada e o ceptro do Judal não foi? perguntou Naomi sentado no colo do rapaz

- Sim, porquê? interrogou de volta enquanto lia o seu livro rapidamente graças aos óculos mágicos

- Só conseguem controlar e lançar fogo e água? perguntou a rapariga

- Não, eles tem parte de mim dentro deles que provoca um poder grande, quando desbloqueado entramos naquela forma que tu vês eu e o Judal utilizamos. Para alem disso o Ceptro do Judal consegue absorver energia da água para lhe recuperar as reservas. E a minha espada, consegue absorver energia.disse

- Haa? Energia qualquer tipo e em qualquer forma? perguntou

- Não sei, talvez. Claro que a sua afinidade com chamas torna absorção de energia das chamas mais eficazmente. disse pousando o livro que lia sacando a sua espada que estava em cima da mesa a passando por cima da chama da vela que iluminava a leitura a fazendo extinguir mas notando que a chama era sugada e rodava á volta da lamina antes de a penetrar recuperando um pouco Alibaba Mas também consegue absorver um pouco de energia de outras origens.disse levantando a rapariga para poder se levantar e afastando-se da mesma Lança um ataque ofensivo - pediu

A rapariga também já de pé apontou a mão para ele e formou uma bola de luz na palma da sua mão a lançando contra o rapaz, ela um ataque fraco e não muito rápido e ele como cortou aquela esfera de energia, notando-se que a energia tal como a chama da vela eram absorvidas pela lamina da espada, mas apenas um pouco, o resto da energia que não tinha sido absorvida depois de ser cortada se transformava agora em duas esferas que continuavam o seu rumo passando cara um de um lado da cara de Alibaba .

- Hoo isso pode dar jeito na guerra, se precisares de energia avisa posso fazer os meus companheiros magos lançarem energia para ti ou tentar arranjar chamas para absorveres. Mas tem de ser pouca a energia não é tua se absorveres muita causará problemas no teu corpo.disse a rapariga

As bolas de energia continuaram o caminho acertando nas estantes atrás de Alibaba fazendo alguns estragos.

-HAAAA porcaria os livros!! gritou ao ver o que havia feito

- E agora?! Temos de arrumar antes que alguém veja isto rápido! disse a rapariga preocupada.

Noite 406

- Naomi-chan!!!! Energia!! gritou o espadachim

- Mas estas esgotado se absorveres agora vai causar danos no teu corpo.disse para si ao ouvir o pedido, mas sabia não muito mais que fazer Meus companheiros vão buscar a essência do centro da terra! gritou no meio do ar para os seus magos.

Um pequeno grupo de magos afastou-se da confusão sem problemas confiando nos seus companheiros para aguentarem a sua ausência e colocando-se em roda no meio do ar formaram um enorme circulo magico no seu centro, como um parafusou um enorme pedaço de rocha começou a subir rodando para desaparafusando.
No combate contra as tropas inimigas sem alguns daqueles magos que trabalhavam na energia para Alibaba a batalha ficava ainda pior a cada momento caia mai um do lado deles.

- Judal! Recupera com as águas do mar!disse apontando para o mar do outro lado da vila

- Foi por isso que fugiste para aqui? perguntou alto enquanto começava a voar na direcção do mar formando mais um buraco nas forças do seu lado agora sem Judal e sem aquele grupo de magos a quantidade de corpos que caiam eram ainda maiores.

Finalmente os magos que trabalhavam na energia para Alibaba acabavam, um pequeno lago de lava fugia perto da zona de batalha, e com isso existia a troca de Alibaba por aquele grupo de Magos que ainda mais esgotados voltavam à batalha apenas para serem derrubados de imediato.

- Lamento… mas com isto devo conseguir terminar esta batalha.murmurou enquanto corria para o lago de lava. Apontando a sua espada para o mesmo.

Ele não conseguiria absorver a lava em si, mas as labaredas que saiam dela eram suficiente para recuperar a sua energia. Alibaba começava a brilhar enquanto se voltava a transformar agora com energia reabastecida, mas era notório por todo o corpo o preço que estava a pagar, podia-se ver as suas veias por todo o seu corpo, estava negras como se tivessem sido queimadas.

https://www.youtube.com/watch?v=St_lPfWUNOg

- Ghaa…. - gemeu sentia dor mas também sentia que tinha energia para continuar e apontando a sua espada para os inimigos lançou um enorme jacto de chamas com o intuito de acabar coma aquela batalha.

A batalha parecia tomar outro rumo, ou pelo menos melhor um pouco para o lado de Alibaba e companhia, grande parte deles já estavam caídos, mas Alibaba utilizando as suas chamas começava a nivelar o campo de batalha, esforçando-se ao máximo.

- Recuem agora, eu trato disto! Vocês estão esgotados !ordenava o rapaz aos seus companheiros de Guerra.

- Alibaba-Ouji não te podemos deixar lutar contra tantos sozinho! dizia Barkak que sabia que naquele momento o Ferreiro era o em melhor estado para continuar de toda as tropas de rebeldes e magos.

- Alibaba-sama, eu vou ficar! gritou Naomi que estava a ir na direcção do rapaz seguida de alguns magos que pareciam querer ficar também apesar dos seus estados.

- Silencio!!! Vão-se embora, só me estão a atrapalhar! Com tantos de vocês aqui tenho e controlar as minhas chamas para não vos acertar! – gritava lançando mais uma rajada de chamas.

Naomi, Barkak e os seus seguidos que tentavam-se aproximar do rapaz paravam e sem dizer nada viravam costas e começavam-se a retirar, os que os tentavam perseguir eram os primeiros a cair sendo acertados pela chamas de Alibaba.

- Hahaha, o Herói está a tentar ficar sozinho para salvar todos. Que pena que depois de te matar-mos iremos atrás deles e destruiremos a Academia e todos eles. Hahahaha HAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA – dizia um um dos soldados que ia na driecção de Alibaba mas era logo queimado vivo.

- Vocês não vão sair daqui vivos, Nunca irão conseguir fazer-lhes nada. dizia sem folgo voltando à forma normal

Tinha gasto quase toda a energia que tinha absorvido e corria agora para perto do lago de lava para tentar absorver mais, mas assim que a primeira quantidade de energia entrava na espada eles caia no chão de joelhos cuspindo sangue.

- Haaa… não… dizia no meio dos gemidos enquanto os saldados confiantes começavam a aproximar-se

Não restavam muitos, em condições normais seriam vencidos rapidamente, mas a dor e o cansaço era muito.

- Quanto será que a recompensa por matar o Príncipe bastardo é? – disse um num tom de troça aproximando-se de Alibaba caído.

Parecia que estava perdido tinha mandado todos embora pensando que poderia aguentar mais e acabar com aquilo, mas não, a sua sorte tinha acabado ali.

- Tu bem disseste que tens sorte e escaparás sempre da morte.disse a voz de Judal

Do nada todos os soldados restantes viram-se debaixo de água começando a nadar e como nenhum estava reparado muitos já começando-se a afogar.

- Eu vou acabar com o resto bom trabalho… Alibaba… Ouji disse Judal

O Mago estava de costas para Alibaba, olhando para os restante soldados que se debatiam sem sucesso para fugir daquela zona de água.

- Acabou murmurou cantando vitoria ao ver já vários dos soldados a perder os sentidos afogados.

Mas todos foram iluminados uma luz intensa no céu.

- O… o que é aquilo?perguntou Alibaba.

- Não sei, mas está a ficar maior. disse Judal

Para ser correto estava a ficar mais próxima. A forças dos rebeldes e magos que fugiam, viam também a luz a cair do céu e preocupados começavam a voltar, mas tarde de mais, antes que pudessem voltar uma explosão acorreu naquela zona. A onde Alibaba e Judal estavam.

Noite 440

Com dificuldade tentava abrir os olhos, queria acordar mas sentia-se ainda muito cansaço.

- Ele está a acordar… ele está a acordar, chamem-los – ouvia ele ainda com dificuldade de ver devido à luz forte .

Os seus olhos não estavam habituados à luz, demorou ainda vários minutos até que ele consegue-se ver direito.

- Vee Veee Veee Veee... - chorava o animal em cima de si lambendo-lhe a cara.

- Vee está tudo bem sai-de cima da mim. - pedia empurrando o Vee para o lado a fazendo deitar ao seu lado.

- Alibaba-sama! Finalmente acordou… dizia alarmada Naomi que estava sentado numa cadeira ao lado da cama.

- Alibaba-Ouji, graças a Deus.disse Barkak mostrando o seu alivio

- Que se passou?perguntou Alibaba, não se lembrava bem o que se tinha passado, mas via o seu corpo cheio de ligaduras e parecia que estava no seu quarto na Academia.

- A culpa é nossa... lamento. Aquele ataque… aquele ataque. dizia já a chorar

- Haaa… a luz no céu, aquilo era uma bomba ou algo assim… não era? perguntava começando a relembrar das coisas que tinha visto antes de perder os sentidos.

- S-sim, a culpa é nossa, eles utilizaram a primeira arma que lhes demos para fechar o acordo. Lamento… Lamento. dizia a rapariga de cabeça baixa.

- Haa? Na-não tem problema. Estou vivo e ninguém mais ficou ferido não é? disse confiante que estava tudo bem.

- Bem… murmurou Barkak

- A onde está o Judal, ele está no quarto dele ferido também? Posso ir vê-lo? perguntou tentando-se levantar com dificuldade mas sendo impedido por o seu mestre da arte de espada.

- O Judal-Ouji… nós procuramos por todo o lado mas não encontramos. Ele deve estar…dizia Barkak

- Não, ele deve estar bem, se eu não morri com aquilo ele não morrerá também. dizia mentindo a si mesmo.

- Ele está morto, não encontramos rastos dele, penso que ele estava no centro do impacto, porque muito dos corpos desapareceram.disse Naomi ainda a chorar.

- Ele está morto… murmurou Alibaba, tentava-se fazer de forte, mas não sabia quanto mais tempo aguentaria tentou mudar de assunto A guerra como está? perguntou

- Tiveste mais de um mês em coma, só nos falta mais 2 cidades à volta da capitão e depois podemos atacar capital. Muitos dos nossos caídos naquele combate estavam apenas inconscientes, consegui-mos salva-los a tempo. A Academia Magica já sofreu 3 ataques durante este tempo, mas conseguimos manda-los embora sem percas. deu um resumo do que se tinha passado.

- Quando vão para a próxima conquista? Eu vou com vocês. disse novamente tentando-se levantar

- Em poucos dias, mas não irás. O teu corpo não tem ferimos, sararam durante este mês, mas ainda está debilitado devido ao dano e ao esforço durante aquele combate. Descansa mais um pouco e talvez consigas vir quando atacamos a capital. - aconselhou Barkak

Aquelas coisas eram para ser ditas por Naomi, mas ela continuava a chorar com a cara enterrada nos cobertores da cama do rapaz. Alibaba pensava no que iria fazer agora sem Judal, não tinha previsto que eles fossem um numero tão grande, e já não tinha confiança que poderia fazer o que tinha planeado sozinho e mesmo com Judal ao seu lado duvidava que conseguisse.
Mesmo que eles dominassem todo o País exceto a capital não adiantaria em nada se não tomassem por completo apenas iriam ser vencidos e todo aquele trabalho desfeito.

Noite 500

- Pouco tempo até eu mudar de ideia, assim que a Naomi, líder dos Magos e o Barkak-sensei, líder dos Rebeldes, saíram daquela sala para me deixar descansar eu já tinha decidido o que fazer. Já estava cheio de Ódio por tudo que eles me tinham feito, que nos tinham feito, só os queria ver mortos e fiz de tudo até quase o final para que isso acontecesse. discursou.
avatar
Syaoran

Mensagens : 749
Data de inscrição : 18/05/2014
Idade : 23
Localização : Matosinhos

Ficha do personagem
Nome:: Alibaba Saluja
Stats:
Estilos:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [King Vessel] Navio

Mensagem por Syaoran em Ter 3 Jun 2014 - 15:53



Noite 500

Alibaba mantinha-se em silencio relembrando os seus actos, durante o final da guerra. O povo que o ouvia resumir a guerra sem dar muitos dos detalhes continuavam a murmurar entre si, pareciam ainda não perceber o porquê dele não aceitar o seu lugar como seu Rei.

-… não me posso arrepender agora.murmurou para si não deixando aquelas palavras serem transmitidas pela magia de som.

Spoiler:


Noite 450

- Já vão para conquistar a próxima zona? Seria melhor eu ir com vocês.dizia Alibaba olhando o seu Sensei e a Líder dos Magos que se preparavam para sair para mais uma batalha

- Alibaba-sama, descanse mais um pouco, perdemos na ultima investida, mas desta vez conquistaremos aquela cidade e ficaremos ainda mais próximo do dia que poderemos tomar a capital para ti.disse Naomi curvando-se depois de tanto tempo a atitude perante ele continuava a mudar, à medida que eles ficavam mais próximos de reconquistar o País ela tornava-se mais submissa a ele.

- Haaa… Mas… dizia Alibaba abaixando a cabeça

- Alibaba-Ouji, ela tem razão, precisas descansar, sei que temos cada vez menos pessoas aptas para combater, mas as percas dos dois lados são maiores no outro lado. Estranhamente já não tem tantas forças a guardar os arredores da capital, e pararam de nos atacar aqui. Eles estão a facilitar-nos o trabalho. Então não te preocupes e descansa. disse Barkak virando costas indo para batalha

Naomi vergou-se e o seguiu levando consigo os seus magos deixando Alibaba e alguns magos aptos para combater na academia por precaução.

- Alibaba-sama, volte para o seu quarto e descanse. – aconselhou uma das professoras da academia que tinha ficado para trás para protecção.

- Não estou cansado, vou para a biblioteca pode ser? - perguntou Alibaba começando a andar na direcção da biblioteca sem receber resposta Vee anda…chamou o animal que sem Alibaba não tinha ido para as ultimas batalhas.

- Como queira, se precisar de algo chame. – disse a professora curvando-se deixando-o ir.

- Haa se for assim…disse virando-se para trás olhando a mulher de alto a baixo, vendo-a dar um passo atrás receosa Pode me arranjar algo para escrever? perguntou

- Tem muito material de escrita na biblioteca. – disse suspirando aliviada.

- Tipo… algo que não possa ser visto aos olhos comuns, de certeza que vocês devem ter algo assim, existe tinta invisível, de certeza que tem tinta magica invisível. - explicou

A mulher não falou apenas acenou com a cabeça e retirou-se deixando Alibaba seguir o seu caminho seguido por Vee.
Na biblioteca recomeçava a ler e em pouco tempo recebia um pequeno frasco da professora com quem tinha falado antes.

- Tão pequeno? perguntou esperava algo maior um pote ou barril.

- Não se preocupe, a quantidade neste fraco poderia pintar toda esta biblioteca sem deixar falhas e ainda restaria bastante. Acho que não vai conseguir ver normal, mas se fornecer um pouco de energia toda a tinta ficará visível a todos por algum tempo. – disse a professora saindo da biblioteca.

Sorriu aquilo era melhor do que ele pensava que aquilo era melhor do que pensava. Continuou a sua leitura deixando o frasco de lado. Passava algumas horas desde que tinha começado e ainda não tinham recebido nenhuma noticia do campo de batalha. Alibaba estava de joelhos no chão com alguns livros ao seu lado e no chão escrevia, a tinta era visível num tom vermelho sangue, tinha já escrito e desenhado bastante no chão da biblioteca e continuava a o fazer.
Viu as orelhas de Vee levantarem, algo a tinha acordado do seu sono em cima da cadeira em que Alibaba estivera sentado e de seguida começou ouvir passos apressados no corredor fora da biblioteca. Parou de fornecer energia à tinta e levantou-se.

- Alibaba-sama, eles… eles venceram! – disse um mago que entrava na biblioteca.

- Que bom, eles estão de volta?perguntou o Ferreiro,

- Sim… Senhor cada vez mais próximo de se tornar o Rei deste País e o fazer tão prospero quanto era antes. – disse o mago com um enorme sorriso.

- Só estou feliz de eles terem vencido e estarem a voltar. disse pegando em Vee que estava em cima da mesa – Quando eles voltarem digam-lhes que estou no meu quarto. - pediu passando pelo mango indo para o seu quarto

Estranhamento desejava que aquela batalha durasse mais, muito mais para lhe dar mais tempo a continuar os seus prepares, conseguiria esconder as coisas dos rebeldes e magos comuns, mas de Barkak e Naomi, sentia que iria ser descoberto por isso enquanto eles não fossem á biblioteca e vissem as sua anotações estaria seguro.

Noite 453

- Naomi-chan… como estás? perguntou Alibaba entrando no quarto da rapariga

- Melhor, os ferimentos já foram curados, mas ainda me sinto cansada.disse a rapariga acamada Mas conseguimos vencer aquela batalha. disse sorrindo a rapariga.

- Que bom, já vi o Barkak e os magos e rebeldes feridos, aprecem que estão todos a recuperar bem. Eu vou para a biblioteca. disse o rapaz abrindo a porta do quarto para sair

- Alibaba-sama, por favor fique só mais um pouco. pediu a maga

Alibaba fechou a porta e foi até a rapariga passando-lhe a sua mão carinhosamente para cara da rapariga.

- Não. Precisas de descansar, sei que não é grave, com vocês, mas mesmo assim vocês precisam de se recuperar. disse carinhosamente abaixando um pouco para ficar ao nível da rapariga deitada o Barkak-sensei disse que enquanto eu não tivesse totalmente recuperado não me deixaria ir para batalha e tu deves pensar o mesmo. Estão com medo que algum efeito colateral de ter absorvido tanta energia naquela vez que me queimou por dentro. Ou algo assim, então vocês terão de continuar a tomar o meu lugar no campo de batalha até eu estar livre para ir.disse beijando a testa da rapariga e voltando-se a erguer começando a sair – Para não te sentires sozinha deixarei a Vee aqui contigo. E obrigado por tudo que fizeste por mim e por este País, em pouco tempo isto tudo terminará e voltaremos todos ás nossas vidas normais.disse saindo enquanto ordenava Vee para ficar com a maga.

Novamente voltou para a biblioteca a onde desta vez não fez nada por algum tempo, não leu não escreveu, apenas ficou lá sentado.

- Eles já devem ter adormecido, vamos a isto. murmurou levanto-se, pegando numa caixa de madeira e saindo da biblioteca.

Tentou evitar todos andou pelos corredores em direcção à saída e assim que conseguiu sair sem ser detectado sacou a sua espada.

- Demorei bastante a ir visitar-te. Alibaba Saluja, 1º e único Príncipe do reino perdido de Balbadd, exige o teu poder para mudar o destino.disse se transformando e com isso uma enorme dor por todo o corpo, que tentou conter, deu um salto e saiu a voar.

- Naomi-sama, o Alibaba-ouji saiu. – disse um mago entrando no quarto da rapariga

- O quê?! A onde ele foi?perguntou a rapariga

- Ele foi na direcção daquele lugar. – respondeu

- Deixem-no estar então. disse a rapariga virando-se para o outro lado da cama.

Alibaba voou por algum tempo cada vez sentindo uma dor mais aguda, mas finalmente aterrou, aquele lugar dizimado, uma enorme cratera que tinha sido enchida por lava, cheirava a morte.

- Desculpa não ter vindo mais cedo. Mas, eu vou fazer algo terrível, mas talvez com isso consiga trazer-te de volta. Tu bem disseste que existe maneiras de trazer os mortos e que eu já sabia o básico para isso. Sou um hipócrita, quando foi o Alphonse eu disse que não queria te nada a haver com os mortos e que se eles morreram tinha sido o tempo deles. Mas eu mesmo não respeitei isso, fui salvo da morte já destinada e agora vou tentar ir buscar-te ao outro mundo e no processo terminar a guerra.falou olhando a lava As preparações para não matar ninguém inocente na capital já foram completa à algum tempo, isso faz-me sentir um pouco melhor, mesmo assim sou inocente a preocupar-me com os inimigos que não poderão voltar a ver as suas famílias.murmurou agarrando a caixa de madeira com força.

Voltou a levantar voo, mas não voava na direcção da Academia, mas sim da capital, não era como se pensasse em começar uma luta naquele dia, mas tinha de preparar a capital para o dia da invasão.

- Hey, sabem o que é que os Rebeldes fizeram? Parece que eles estiveram na capital bastantes vezes nos últimos tempos. Raptaram todos os civis. Hahaha – ria-se um guarda falando para os seus companheiros que faziam a patrulha com ele

- Ainda bem que só viemos nos últimos reforços, parece que os que faziam a patrulha foram mortos pelo Governador, por incompetência por terem deixado os Rebeldes levar os civis que iriam ser vendidos como escravos. – disse outro.

- Eu ouvi sobre isso também, os rebeldes usaram os magos para eles fazerem magia de sono e assim levavam os civis facilmente mesmo se eles não quisessem ir. – disse um terceiro.

- Temos mesmo sorte que agora se virmos rebeldes é em grandes números eles só nos devem atacar se for para tentarem dominar a capitaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa! – gritou o guarda

Logo de seguida os outros com ele também berraram, mas foi por pouco, estavam todos no chão mortos.

- Deveria ter tido um pouco mais de cuidado. disse enquanto os arrastava para dentro de uma das casas vazias. Trocara de roupa com eles Que sorte a roupa está um pouco grande para mim, mas pelo menos arranjei todas as peças sem estarem manchadas de sangue – felicitava-se agora mascarado, pegava de novo na caixa de madeira que trazia consigo desde Academia.

Noite 454

-Haaa… finalmente cheguei, já devem ter notado a minha falta, afinal tive fora quase 24 horas. disse o rapaz abrindo a porta do seu quarto deparando-se com Barkak e Naomi lá dentro à sua espera.

- Então a onde foste? perguntou o homem zangado

- Fui ver o Judal.disse abaixando a cabeça.

- Eu disse-te ele foi na direcção da cratera. disse a rapariga

- E ficaste lá 1 dia completo? perguntou o Líder dos Rebeldes

- Sim, estive a falar com ele. A Desculpar-me por o ter feito morrer. E a contar-lhe os avanços que vocês conseguiram fazer. respondeu o Ferreiro

- Podias ter sido apanhado por inimigos, sabemos que conseguirias te defender deles, mas se fossem muitos poderias ter sido capturado.disse o homem preocupado

- Desculpem, não pensei nisso apenas queria desculpar-medisse abaixando ainda mais a cabeça

- Muito bem descansa, nós já estamos a preparar o ataque ao ultimo povoado à volta da capital. Neste não vais participar, mas depois no ultimo teremos de te ter lá. Por isso descansa Alibaba-samadisse Naomi levantando-se


Os dois saíram do quarto abandonado Alibaba e Vee que se deitaram na cama, o rapaz queria descansar, mas ainda não tinha terminado os preparo, tinha de sair dali outra vez.

- Vee, isto vai terminar em breve. murmurou fechando os olhos adormecendo.

Noite 457

Dentro da enorme e ricamente decorada sala do Rei no Palácio Real na capital.

- Que é isso?! Os Rebeldes estão a atacar-nos de surpresa, encontraram 3 corpos de soldados nossos escondidos dentro de uma casa. A culpa é vossa. Eu ordenei que não os atacassem em força nem atacassem a sua base na Academia. Só estão a aumentar a fúria deles. gritava uma voz meia esganiçada Para não acontecer isto de novo precisamos esmagar a sua confiança, deixa-los vir o mais longe possivel e depois vence-los, para provar que mesmo que venham longe não tem chance de conquistar território ao nosso glorioso Rei. continuava a gritar

- Então este homem é o Governador, pensei que seria maior e mais imponente. murmurou para si

- Abram as portas! – gritou um dos guardas que estivera a ouvir o Governador

- Sim senhor!dizia o rapaz abrindo a porta deixando o grupo que estava dentro do trono sair com eles o minorca gordo de cabelos longos a quem eles chamavam de Governador – Agora é o momento dos últimos toques.disse para si depois de se ver sozinho naquele corredor, entrou na sala do trono e levou as mãos a dentro do colete da farda dos soldados inimigos como se procurasse algo.

Na Academia magica os Lideres e generais dos magos e rebeldes estavam am reunião para dar os últimos toques ao seu plano de ataque.

- Ele saiu novamente? perguntou Barkak

- Sim, ele tem saído todas as noites indo para o local da morte do Judal e voltando de madrugada. disse Naomi

- Desde que ele não se meta em problema tudo bem, vamos continuar os planos. disse Barkak abanando a cabeça com um ar repreensivo.

De volta ao Palácio na Capital Alibaba andava pelos corredores do Palácio, estranhamento estavam vazios para um local cheio de soldados, talvez porque todos estavam fora do palácio e em volta do Governador.

- Hey tu! – chamou alguém que aparecia nas costas de Alibaba

- Sim? perguntou virando-se

- O Governador, disse para ir buscar a sua comida, mas não me apetece, como teu superior ordeno-te que vás buscar tu. – disse o homem olhando Alibaba de alto a baixo.

- Sim, senhor. disse curvando-se preparando-se para se retirar sem intenções de executar aquela ordem.

- Espera… Eu conheço-te… mas nunca te vi junto com os soldados, a onde é que te vi? – perguntava o homem

- Merda… murmurou o rapaz sacando a sua espada e se atirando sobre o soldado inimigo que parecia saber a sua cara, o trespassando o peito com a sua espada.

- Ghaaa… o Príncipe… – dizia enquanto cuspia sangue e o seu corpo perdia vida.

- Hahaha… o quê? O Governador pediu-te a ti para ir buscar comida e tu ordenaste a um de escalões menor. És o pior! – dizia alguém que se aproximava.

- Trabalhei para chegar a este Rank, tenho de ter algumas regalias não é? Hooo – dizia escorregando e caindo no chão – Ai… que é esta merda no chão? Sangue? – perguntava-se olhando para o chão e para o que o fizera escorregar, o sangue deitado pela recente vitima de Alibaba.

Noite 467

-(Foi por pouco se não conhecesse o Palácio melhor que eles, teria sido encontrado logo à entrada. Mas eles já devem ter descoberto o corpo. A defesa dentro do Palácio deve aumentar.) pensava andando pelos corredores da Academia.

- Alibaba-sama vais sair novamente esta noite? perguntou Naomi que aparecia à sua frente.

- Naomi-chan… Não, vocês tem razão, eu tenho de descansar, vocês estão a sair para mais uma batalha, com sorte a ultima antes de tomamos a capital. disse Alibaba pousando a mão na cabeça da pequena rapariga – Vocês não devem precisar, mas boa sorte. Já agora o canhão que matou o Judal eles podem utiliza-lo novamente? desejou, acabando com uma pergunta.

- Não, duvido. Se tivesse nas nossas mãos, poderíamos carrega-lo em algumas horas, mas segundo o que sabemos eles não tem magos, por isso ele tem de carregar sozinho, demoraria alguns meses para isso acontecer.responder a rapariga.

- Isso é bom, Boa sorte novamente .desejou de novo e continuo o seu caminho.

- Ele já nem diz que quer vir para a batalha, será que desistiu de combater por causa da morte dele? perguntava-se a maga abanando a cabeça para se focar e seguindo ela o seu caminho.

Mais um assalto era feito aquela noite, os Rebeldes e os Magos liderados pelos seus Lideres iriam atacar a ultima vila em volta da Capital, deixando apenas esta depois. A batalha foi feroz mas estranhamente o numero de tropas inimigas continuava a diminuir depois de uma grande diferença de números nas outras batalhas, facilitou bastante, mas não queria dizer que não houve percas.

- Eles voltaram!! E foram vitorioso! – gritavam pela Academia.

Na entrada da Academia Alibaba esperava que Barkak e Naomi entrassem, mas para a sua surpresa eles não entraram como muitos, de pé com ar vitorioso, vinham a ser ajudados por outros.

- Vocês estão bem? perguntou Alibaba preocupado

-S-sim, lamento Barkak por minha culpa isso aconteceu.desculpava-se a rapariga

- Não tem problema, se não fosse por ti já teria acontecido mais cedo Ghaaaa…gemia o líder dos Rebeldes Barkak

A Maga precia estar apenas ferida, pareciam graves, mas Barkak tinha perdido o seu braço esquerdo.

- Alibaba-Ouji… tu não queres combater não é? Perdeste a convicção. Não precisas de o fazer, deixa o assalto há Capital com os Generais dos Rebeldes e Magos. Mas temos de atacar rápido. dizia o homem já deitado numa cama da enfermaria a ser tratado

- Alibaba-sama, não se preocupe, deixe tudo connosco.pediu também a rapariga na cama ao lado.

- Isso não é verdade, eu irei para a luta final, sinto-me óptimo, apenas estive a fazer o que vocês pediram, a não me esforçar. E como vocês estão, para poderem ajudar no assalto há capital precisaríamos de esperar algum tempo, tempo esse que não temos não é? Eu vou liderar as nossas forças e atacar a capital. Reconquista-la e acabar com esta Guerra de uma vez por todas. falou saindo da enfermaria sem deixar que os dois os tentassem impedir.

Juntou todos que ainda podiam lutar na salão principal da Academia, este ficou abarrotado.

- Meus amigos. Eu não tive com vocês nas ultimas batalhas, e peço desculpas, mas como sabem a Naomi-chan e o Barkak-sensei não estão em condições de combater, e não temos tempo para esperar, nos próximos dias iremos atacar a capital e iremos conquista-la! falou para todos

Gritos eufóricos começaram a encher toda a Academia parecia que havia ainda um pouco de espírito de luta em todos e que isso poderia dar a vitoria naquela Guerra.

Noite 470

- Vocês são os Generais, precisam de controlar os vossos companheiros da melhor maneira. Neste ataque, precisam de fazer o que vos vou pedir. Assim que eu der a ordem, vocês tem de obrigar todos a segui-ladisse para os Generais dos dois lados

- Mas que ordem seria essa? – perguntou um deles, receoso pela reposta.

- Retirarem-se. Tem de fugir o mais rápido possivel da capital. O Barkak-sensei contou-me de algo que acabará com toda a guerra, o problema é que irá destruir quase ou toda a capital. No Palácio, no subsolo, tem uma bomba, criada pêlo antigo Rei, meu pai, ele tencionava utiliza-la caso algo assim acontecesse, caso a capital fosse tomada ele explodiria o palácio e arredores para eliminar todos os inimigos.falava o rapaz

- Bomba? Reconstruir a cidade não é um problema, mas porque não activou ele a bomba antes? – perguntou outro

- A bomba tem de ser activada manualmente ou seja tem de estar à veria da bomba, ele não teve essa oportunidade e também existe poucos segundos até ela explodir. falou

- Mas isso, quem a vai activar? É um sacrifício, Sair de perto do Palácio em pouco segundo é impossível, se aquilo tem poder para destruir quase a cidade toda, demoraria quase uma hora a sair da cidade a partir do Palácio. – falou um dos Generais.

- Não se preocupem, eu irei activar a bomba só eu e o Barkak sabemos a localização dela, para alem disso consigo sair da capital em pouco tempo a voar. Não se preocupem. Apenas preciso de que façam como peço e quando pedir para fugirem que levem todos com vocês o mais rápido possivel. terminou curvando-se para aumentar a importância do pedido.

- Muito bem senhor, iremos fazer como pede apenas não se sacrifique. – disseram eles.

Horas mais tarde a batalha já tinha começado, os Rebeldes e Magos já tinham feito algum progresso pela capital e estavam-se a aproximar do Palácio.

- Vamos em frente! Vamos! Eles são muitos mas este País é nosso, nós conhecemos estas ruas melhores que eles. O terreno está a nosso favor! – gritavam

Alibaba estava no solo a combater ferozmente os soldados inimigos, mas estava na hora.

- Alibaba Saluja, Príncipe do reino perdido de Barlbadd, exige o teu poder para mudar o destino! orou se transformando e subindo no céu – Recuem agora! - ordenou coberto de chamas.

Os Rebeldes e Magos não percebiam o pedido, mas logo os Generais entreviam consolidando a ordem e começando a gritar para eles fugirem em pouco tempo as tropas dos rebeldes e Magos estavam em fuga completa.

- Vamos a isto! disse voando como uma flecha de chamas pelo ar em direcção ao Palácio

Os soldados inimigos ficaram confusos, as tropas fugiam ma claramente um deles ia em direcção ao Palácio, tiveram de tomar a decisão e todos decidiram voltar para traz correndo para o Palácio o que tornou a fuga das tropas de Alibaba fácil.
Quebrou uma enorme janela e entrou na sala do trono, a maior e mais rica sala do Palácio pousando no seu centro deparando-se com a pessoa que comandava todos os inimigos.

- Hooo, se não é o Príncipe Bastardo. Então? Com as tuas tropas em fuga vieste aqui entregar-te? perguntou o minorca em tom de gozo.

- Não… Eu vim para terminar esta Guerra disse perdendo as chamas em volta do corpo voltando à forma normal.

- Estás a dizer que vieste aqui para me capturar e utilizar-me como refém para parar as minhas tropas? falou novamente em tom de gozo enquanto estalava os dedos fazendo sair das sombras os seus soldados, pareciam que eram tantos ou mais do que os que estavam na rua a combate

Alibaba estava cercado, mas calmamente guardou a sua espada, não incomodado com a presença de todos aqueles inimigos que ainda a alguns metros apontavam as suas armas para si.

- Então, então? Para quem vinha terminar a guerra desististe tão rápido assim que viste os inimigos. continuava a gozar.

- Eu não desisti, esta guerra vai terminar esta noite. disse num tom frio.

- Que pena queria mostrar a tua cabeça a separar-se do teu corpo em frente doas tuas tropas, mas elas vão ser mortas todas. Afinal a Academia magica está sobre ataque neste momento, mas se calhar já deves ter reparado que algo estava estranho afinal avançaram tão rápido aqui, era impossível esconder tantas tropas dentro do Palácio não é?continuava a tentar gozar o rapaz.

- Então enquanto nós atacávamos aqui tu atacavas a Academia. Então tenho de me apressar. disse mordendo os polegares até estes escorrerem sangue pelas suas mãos.

- Que estás a fazer? O rapaz enlouqueceu. Hahahaha ria-se enquanto dava sinal para os soldados avançarem.

Aliabba abaixava-se rapidamente batendo com as mãos no chão. Uma enorme luz surgiu no chão e correu por todo o palácio e toda a cidade da Capital. Os soldados que tinham a luz mesmo em baixo de si assustaram-se mas aquilo não lhes iria fazer nada pelo menos a luz. Na sala do trono, a luz que estava no chão fazia os soldados receosos pararem o seu avanço sobre o Alquimista.

Na Academia Magica, Barkak e Naomi ainda acamados esperavam noticias do campo de batalha.

- A Guerra está preste a terminar o Ouji foi activar a bomba. – disse um mago que entrava na enfermaria.

- Bomba? perguntou Barkak

- A bomba debaixo do Palácio que o senhor contou que existia para ocasiões como estas. – respondeu.

- Haaa? Não existe bomba nenhuma debaixo do Palácio isso era uma estupidez. Quem raio vos disse isso? resmungou o Líder dos Rebeldes.

- O Alibaba-Ouji, Os Generais disseram que o senhor lhe tinha contado e que ele iria activar a bomba e fugir e a bomba iria atacar com todos os nossos inimigos. – disse o mago confuso.

- Ele enganou-vos. Ele pretende lutar sozinho! disse Naomi, começando a levantar-se

Um grito ecoou pela Academia e com ajuda de alguns magos e rebeldes que estavam lá Barkak e Naomi foram levados até ao grito, a biblioteca estava a emitir muito mais luz que o normal, quando entram notaram por todo o chão escrituras.

- O que é isto? perguntou o Líder dos Rebeldes.

- Eu… eu não fiz nada. Só vim aqui, vi todos estes livros caídos e comecei a utilizar magia para os levitar e arrumar, mas do anda estas escrituras apareceram no chão. – disse o jovem maga que estava caída no chão.

- Isso foi o Alibaba-Ouji que escreveu, ele pediu tinta invisível, eu estranhei mas fiz-lhe a vontade. – disse o a professora que tinha dado a tinta a Alibaba.

- isto… é anotações sobre Alquimia o que raio ele estava a estudar. – disse Naomi olhando para as coisas escritas no chão.

- Hey… isto é o mapa da capital. Que é isto por cima?perguntou Barkak

- Isso é…dizia Naomi sendo vencida pela professora que respondera primeiro

- Circulo Alquímico, ele planeou fazer um circulo em toda a cidade, o que raio ele quer fazer em tanta escala? – perguntou-se a professora, não era especializada em alquimia sabia algumas coisas mas não muito.

- Temos de o impedir. Ele pretende utilizar Alquimia para usar todos na capital como troca para algo. disse Naomi.

- Ele deve querer trazer o Judal de volta. Por isso é que tem saído quase todas as noites, ele tem ido à capital fazer isto, temos de ir… dizia começando a caminhar com dificuldade.

Novos berros ecoaram pela Academia mas de apenas um passaram a varios, e a cada momentos aumentavam.

- Não pode ser, estamos sobre ataque. disse Barkak tentando-se manter em pé segurando-se numa mesa.


Noite 500

- O final da guerra foi algo terrível, nós tentamos conquistar a Capital e eles atacaram nas nossas costas tentando destruir a Academia que era a nossa base. Para alem disso tinham mais reforços deles a virem no nosso caminho. falou respirando fundo pronto para continuar.
avatar
Syaoran

Mensagens : 749
Data de inscrição : 18/05/2014
Idade : 23
Localização : Matosinhos

Ficha do personagem
Nome:: Alibaba Saluja
Stats:
Estilos:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [King Vessel] Navio

Mensagem por Syaoran em Qua 4 Jun 2014 - 1:04

Spoiler:



Noite 500

- Foi terrível, mas graças há Obassan e Sakura e há ajuda que elas trouxe não foi ainda pior disse ganhando um pouco mais de vontade.

Spoiler:



Noite 470

- Eles vem ai, alguém consegue lutar? perguntou Barkak ao ouvir os gritos de agonia a ecoar pela Academia.

- Eu acho que consigo utilizar um pouco de magia a Sensei também, mas a novata deve esconder-se assim como você Barkak disse Naomi preocupada mais com o estado na Capital do que ali.

O som tilintante dos metais a bater e de explosões começavam-se a aproximar, os gritos começavam a cessar.

- Será que eles desistiram, ou já mataram todos? – perguntava a novata cheia de medo

Mas assim que ela falou os gritos voltaram, mas para seu azar começavam a ouvir passos de alguém a aproximar-se, na entrada da biblioteca a onde eles estavam apareceram varios soldados inimigos que confiantes olhavam para os 4 que ali estava encurralados.

- É o Líder dos Rebeldes, o antigo guarda real Barkak, e o Líder dos Magos, que tomou o lugar daquele velho idiota. – disse um aproximando-se deles

Naomi ferida tinha-se sobrevalorizado e não conseguia utilizar magia ainda, e a professora que estava com eles se preparava para atacar, apenas alguns, mas poucos achava que poderia livra-se de todos. Mas as suas esperanças foram postas por terra assim que apareceram mais soldados atrás daquele primeiro grupo.

- C-c-cuidado… – disseram alguns no segundo grupo esperando as suas armas pelas costas dos que ameaçavam, Naomi Barkak e companhia e de seguida esses eram atacados e derrubados por estranhos homens que eles nunca tinham visto, pareiam nativos pelas suas roupas.

O segundo grupo de soldados que era derrubado pelos estranho que apareciam cuspia água como se tivessem sido afogados e os Estranhos ficavam a olhar para os 4 na biblioteca, entre os estranhos estava uma rapariga jovem que segurava dois machados.

- Judal-san acho que os encontramos. -  disse a rapariga

- Obrigado, Sakura. disse uma voz familiar que finalmente apareceu na frente dos que estava na biblioteca – Olá Senpai, Barkak-san. Faz algum tempo não é? perguntou num tom convencido de seguida olhando para a rapariga com machados Não era preciso terem dado cabo dos meus fantoches, terei de fazer mais, se ainda houver alguns.disse desiludido, ele estava transformado, e apesar do seu corpo estar cheio de ligaduras parecia estar bem.

- Desculpe Judal-sandizia curvando-se

Barkak e Naomi estavam incrédulos não sabiam o que falar, pensavam que ele estava morto, mas ele estava ali.

- O Alibaba-sama conseguiu? perguntou Naomi.

- Conseguiu o quê? Já agora a onde ele está?perguntou Judal

- Reviver-te, ele conseguiu trazer-te de volta? perguntou de uma maneira Barkak

- Reviver? Não podem fazer isso a uma pessoa que nunca morreu.disse um tanto confuso com cara de troça, mas logo ficou serio - Ele pensa que eu morri? Isso é mau… muito mau a onde ele está?! perguntou aos berros

- Eles atacaram a capital, o Alibaba-sama enganou todos aproveitando que nós estávamos fora do planeamento por causa de estarmos feridos e achamos que ele vai utilizar alquimia para te tentar reviver. disse Naomi

- Então é por isso que ele prendeu a Vee na sua bola  e a deixou no seu quarto… idiota eu avisei-o.disse  levando a mão à cabeça começando a correr para a saída da academia

Spoiler:



Noite 406

- Não sei, mas aquilo está a ficar maior disse Judal olhando a luz que os iluminava

- Na não parece coisa boa… disse ainda no chão

- Não…aquilo não pode ser o canhão ele não foram estúpidos de dar o canhão. dizia lembrando-se dos seus tempos na academia Vai ficar tudo bem Alibaba disse

Apontou o seu ceptro para Alibaba  lançando um jacto costas ele que o envolveu numa bolha de água o fazendo sobrevoar o lago de lava o afastando. De seguida levantou vou e abanou o ceptro à sua frente  controlando a água que tinha à sua volta e que estava cheia de soldados os movimentando todos para criar como um escudo humano e água.

- Não faças nada de estúpido Alibaba! gritou tentando congelando a água que controlava aumentando a defesa.

Depois disso o local sofreu uma enorme explosão que criou uma enorme cratera que encheu rapidamente de lava proveniente do pequeno lago que fora “cavado” durante o combate.

Noite 425

- Maldito vento, desde que saímos ele está contra nós, vai demorar o tripulo de tempo até chegarmos para os ajudar-los.reclamava a rapariga dos machados  olhando para a frente.

Em alto mar e sem nada próximo apenas podia ver água.

- Minha neta, tem calma, sei que te esforçaste este ano todo para convence-los a todos a vir, mas se não temos os ventos a nosso favor apenas temos de esperar mais um pouco. disse a idosa caminhando até ao lado da rapariga

- Obassan… O que é aquilo? perguntava apontando para algo que via a boiar na água

- A minha visão não me deixa ver tão longe, que achas que é?disse a velha esforçando o máximo a sua vista mas sem sucesso

- É gelo…parece que tem alguém em cima dele, está deitado.dizia esforçando para tentar perceber o que era na verdade Judal-san… é o Judal-san! Temos alguém na água!! Ajudem-no por favor! gritava pedindo ajuda aos outros naquele Navio.

No meio do mar estava uma plataforma de gelo e em cima dela estava Judal, ferido e desmaiado apenas agarrando o seu Ceptro.  O Navio a onde a rapariga e a velha viajavam era apenas o que ia há frente de cerca de 16 no total cada um pertencendo a uma das 15 tribos que decidiram depois de mais de um ano de negociações a ajudar os salvadores das suas terras.
Sakura quando Alibaba e Judal abandonaram a sua vila mais de um ano antes era apenas uma rapariga inocente, mas depois de ouvir respostas negativas para ajudar os seus amigos, entrou sobre tutela dos guerreiros da sua vila, e viajou por todas as 15 tribos melhorando as suas habilidades e ganhando a sua confiança. Os seus machados que agora utilizava com mestria tinham sido utilizados antes pelo líder dos mercenários, ela os confiscara e os tornara seus os aprendendo a utilizar. Depois de muito trabalho finalmente mudou a ideia de todas as 15 tribos fazendo-os ir todos para ajudar.

- Merda… merda… merda… Se não tivéssemos demorado tanto a chegar teríamos impedido que isto acontecesse… resmungou o Mago enquanto corria pela Academia Todos vão em direcção à capital! O assalto a ela já começou, precisamos de ajudar!ordenava enquanto passava pelos homens das tribos que tinham vindo ali para lutar.

Saiu da Academia começando logo a voar para a Capital, vendo no caminho as tropas que tinham sido mandadas recuar.

- Aquela coisa azul… é o Judal-Ouji não é? perguntava alguns vendo o mago passar rapidamente por eles voando para capital.

Mas a visão de todos foi ofuscada por uma enorme quantidade de luz que ocorreu na capital, de qualquer parte do País e até mesmo nos arredores poderia-se ver aquela luz forte que emanava do coração do País de Balbadd.

- Não!! Ele já o fez!gritou contentando apressar-se ainda mais.

Quando chegara à capital tudo para tinha passado, via as pessoas mortas durante a batalha cobertas de sangue mas à medida que se ia aproximando do palácio apenas via corpos caídos e por isso desceu ao solo tendo ver a pulsação deles, estavam de facto sem vida, mas não havia qualquer tipo de ferida.

- Que raio fizeste Aliababa?perguntava-se voltando a levantar-se do solo continuando o seu caminho pela cidade.

No portão do Palácio apenas uma pessoa de pé estava, andava lentamente olhando o chão, parecia desiludido.

- Falhei… falhei…murmurava para si enquanto andava lentamente sem animo.

- Alibaba?! gritava Judal descendo à sua frente lhe agarrando nos braços O que raio fizeste?!perguntava alarmado

- Ju-ju-judal… Eu consegui… afinal não falhei… dizia ganhando um pouco de animo começando a chorar

- Que estás a dizer? Eu não morri, o que raio aconteceu, o que é que fizeste com Alquimia? Eu disse-te que ia ficar tudo bem porque não acreditaste em mim? - dizia  abanando o rapaz tentando-o trazer a si

- Eu… eu utilizei-os a todos. Mas vem ai mais reforços. disse perdendo os sentidos caindo sobe Judal depois de dizer o que o Governador tinha anunciado antes de perder a vida.

Em pouco tempo tanto as tropas rebeldes que ao verem Judal voar para a capital tanto as tribos chegaram à capital encontrando o mago sentado na escadaria que dava ao Palácio, Vee no seu colo e Alibaba desacordado ao seu lado deitado.

- Alibaba-chan! Ele está bem? perguntava a rapariga dos machados.

- Sim… penso que sim, apenas está cansado. respondeu Judal

Passado alguns momentos chegou Barkak, Naomi e a Obassan que devido ao seu estado tinham ficado para trás.

- Judal-Ouji, o que se passou? Vimos da Academia a luz.- perguntou Barkak

- Alibaba-sama… Alibaba-sama…dizia a maga ficando de joelhos ao lado do corpo adormecido do rapaz.

- O Alibaba venceu esta batalhadisse  Judal suspirando

Ao ouvirem isto os gritos de felicidade foram ouvidos ainda mais altos, sem saberem que mesmo tendo ganho aquela batalha não tinham ganho a guerra, devido aos reforços que Alibaba tinha dito antes de perder os sentidos.

- Temos de o levar para a Academia para ele poder descansar melhor e ver se ele tem algo de grave. disse Naomi acariciando a cara do rapaz.

- Judal-san, o que é essa criança para o Alibaba-chan? perguntou Sakura

- Eu tenho 19 não sou uma criança como tu!gritou a maga olhando com raiva para a rapariga dos machados.

- Ela é a sua stalker…disse calmamente.

- Hey! Respeito! ordenou Naomi

- Pronto… A Senpai é a stalker dele. – reformulou

- Haaaa… vou-te fazer pagar por isso…ameaçou  a maga, vendo que Sakura começava a tentar conter as risadas pela situação – Está a rir-te de quê?! gritou com raiva

- Nada… nada  Salker-chan gozou a rapariga  batendo na cabeça da pequena maga  continuando a torça-la

- HAAAA! Eu vou vingar-me de vocês… o Alibaba-sama não goza comigo.dizia a chorar agarrando a mão do Ferreiro adormecido.

- Larga-o Stalker! ordenou Sakura empurrando Naomi.

As duas continuaram a suas discussões, até que palavras saíram da boca do rapaz adormecido.

- Hime… disse adormecido virando-se para o outro lado

- Hime… ele está a dizer que vai fazer alguém uma princesa? disse Sakura cheia de esperanças.

- Porque estás tão feliz, ele não tornaria uma criança como tu na sua princesa. disse Naomi.

Nova discussão continuou mas desta vez foi parada por Judal que se levantava.

- Ele está bem…disse um pouco mais aliviado depois de ouvir o seu irmão falar Mas a Guerra não terminou, antes de ele desmaiar anunciou que haviam reforços inimigos a caminho. Teremos mais uma batalha pelo menos.disse calmamenteObassan, por favor leve-o para a academia.pediu há idosa.

- Navio inimigos estão a atracar num porto próximo para Sul, Reforços!! – gritava um mago que chegava pelos céus.

- Ele já chegaram. Quem puder lutar, me acompanhe. Temos de vencer esta batalha e provar que retomamos este País! Disse em voz alta para que todos pudessem ouvir.

Barkak, Naomi e Obassan, junto com Alibaba e o resto dos feridos naquela batalha foram começados a ser levados para a Academia. Quase todos os guerreiros das 15 tribos estavam aptos para lutar e alguns magos e forças dos rebeldes também. Não sabiam com o que iriam contar, mas já tinham chegado tão longe, aquela batalha seria a ultima.

As forças comandadas agora por Judal chegaram a onde os inimigos estavam a desembarcar sendo logo recebidos com hostilidade que despoletou mais uma batalha que não podia ser evitada.

- Vocês não podem fazer nada agora! O País foi reconquistado e não o deixaremos ser tomado de nós de novo!gritava enquanto lançava jactos de água contra os soldados inimigos que investiam sobre ele.

- Iaaa… HAA! gritava a guerreira de machados  enquanto fazia ecoar pelo campo de batalha o som da suas armas a bateram um na outra, desorientando os seus oponente dando oportunidade de os deitar a baixo

- Então aquele homem não sabia que os machados eram magia do som e não do ar?perguntou  Judal que lutava perto da rapariga

- Eu também não sabia até que visitei a setima tribo, eles tinham uma estranha maneira de lutar utilizando as ondas sonoras eles ajudaram-me bastante respondeu continuando a sua luta.

Alguns dos guerreiros das tribos que estavam próximos olharam para a rapariga com ar ameaçador.

- Haaa…  as outras tribos também me ajudaram bastante, se não fosse o treino com eles nem um machado conseguiria utilizar. Ha ha hahaha – ria-se quse obrigada para acalmar os seus companheiros.

- Hmmm… Tem cuidado, para o Alibaba não te roubar os machados, ele tem um estranho habito de tentar fazer colecções  com armas e objectos que acha interessantes. Durante este ano tivemos problemas porque eu tirava alguns dos bastões mágicos dos magos lá da Academia devido a acha-los interessantes.aconselhava. Judal  rodando sobre si chicoteando os inimigos que estavam à sua volta com água.

- Não me importo de lhe oferecer tudo… se for o Alibaba-chan.disse   cruzando os machados   por momentos começando a imaginar cenários nada apropriados.

- Ele só arranja pessoas estranhas… E eu ainda reclamava da outra. murmurou para si o mago começando a afastar-se da rapariga depois de a ter salvo de ser apanhada pelos inimigos enquanto esta estava perdida no mundo dos sonhos.

- Haa disseste algo Judal-san? perguntou  Sakura voltando a si continuando o combate.

- Nada… Nada… dizia já no ar levantando o seu ceptro  fazendo cair sobre os inimigos varias flechas de gelo Vamos! Confiança, temos de os fazer recuar e os obrigar a retirar!gritava o mago.

A batalha continuava e Judal fora obrigado a transformar-se para nivelar o campo de batalha que como sempre estava desequilibrado devido aos números. Criando enorme zonas de água tentava afogar os seus oponente. E mesmo antes que eles perdessem os sentidos os soltava aquelas prisões de água.

- Sakura vê se desta vez não  dás cabo dos meus fantoches! gritou para avisar a rapariga.

- Fan-fantoches? – perguntavam-se os soldados inimigos tentando recuperar o folgo

-Sim… Olha. disse apontando  o seu ceptro para eles  começando a controlar os seus movimentos os obrigando a lutar contra os seus próprios companheiros.

- Na-não me  con-consigo controlar. E-le fez algo comigo. –diziam os controlados para os companheiros com quem estavam a lutar.

Mesmo com estes poderes a batalha estava desigual e eles continuavam a ter de recuar aos poucos, mas um tumulto começava nas linhas traseiras do lado de Judal

- Ouji… Ouji.. – murmuravam eles abrindo caminho

- Alibaba? perguntava-se vendo o loiro aparecer entre os que estavam atrás de si e abriram caminho.

Alibaba cambaleava, percebia-se claramente que ele quase nem conseguia ficar em pé e os poucos que o atacavam tinham o seu caminho barrado por guerreiros tanto, magos, rebeldes ou os das tribos o defendiam deixando-o continuar a sua marcha lenta.

- Alibaba que estás aqui a fazer?perguntava Judal descendo ao seu lado o defendendo também de ataque inimigos.

- Acabar com este guerra. disse o Ferreiro

- Mas tu não consegues manter-te em pé o que raio vais conseguir fazer contra eles, não estás a pensar fazer a mesma coisa que na capital pois não? perguntou preocupado

- Então ajuda-me. pediu não lhe dizendo o que pretendia fazer.

- Alibaba-chan não deveria estar aqui.disse a Sakura aproximando-se

- Todos comigo!ordenou o jovem príncipe enquanto abaixava-se colocando as mãos no chão começando a erger uma muralha

- Hooo… Que estás a fazer? perguntava a rapariga sentindo o chão debaixo de si começar a mexer-se

Varios dos magos ajudaram no processo utilizando o seu controlo sobre a natureza, tanto para formar parede como puxar os poucos dos seus aliados que estavam do lado contrario a vir para o lado certo. A enorme barreira dividida o campo de batalha, de um lado os invasores, do outro so rebeldes magos e tribos, poucos tinham ficado em cima da barreira,  Alibaba, Judal, Sakura e alguns magos que tinham ajudado na sua criação.

- Naomi… murmurou enquanto ao seu lado pousava a maga que trazia consigo um corpo e o largava aos pés de AlibabaPor favor. pedia

A maga sem dizer nada criava uma pequena bola em frente de Alibaba agora com a batalha interrompida ele parecia que ia tentar negociar.

- Voltem para vossas casas! ordenou o Alquimista aos invasores.

Começou logo a ouvir gritos contrario,claro que não aceitariam ir embora só porque lhes era dito para.

- O homem patetico a quem vocês chamam Governador está morto. – disse empurrando o corpo largado aos seus pés o fazendo cair da enorme muralha do lado  dos invasores Ele deixou-nos conquistar facilmente grande parte do País, e matou alguns dos seus Generais que foram contra as ordens de nos deixar avançar facilmente. Isto porque queria que nós chegassemos o mais longe possivel para destruir o nosso espirito nos vencendo quando a meta estava tão proxima. Mas falhou e nós tomamos a Capital e todo o País, ele já não é vosso. falou

Conseguia-se ouvir claramente alguns a chamar-lhe de mentiroso, mas tambem alguns a dizer que tinham ouvido rumores sobre aquele homem ter feito isso, e depois de verem o corpo do facelido Governador, alguns começaram a atacar a muralha tentando-a por a baixo.

- Não vos adianta tentar reconquistar este País, só vai acabar da mesma maneira de agora, vocês serão derrotados e nós tomaremos o País de volta. Não quero ser cruel como o Governador e deixar-vos  avançar para depois vos vencer. Por isso digo-vos que por cada passo que derem em frente farei com que deem um passo atrás de seguida, podem tentar quantas vezes quiserem resta País não será parte do vosso Reino.disse fazendo todos o ouvir devido à magia de Naomi

O número de soldados que começavam a atacar a gigantes muralhas, tanto ataques físicos com as suas armas afiadas como disparos ou bombas, faziam estragos mas não o suficiente para a por a baixo.

- Irão sempre ser repelidos.disse apontando para a zona que estava a ser ataca e os magos faziam aquela zona desmoronar transformando-a num tsunami de areia que arrastava os que a atacavam para longe de novo Virem costas e voltem para as vossas casas, as vossas famílias ou seremos obrigados a lhes causar grande dor por lhes tirar os seus entes queridos. os mandava embora enquanto num esforço em conjunto os magos voltavam a reerguer a zona da muralha que tinha sido deitada a abaixo.

Novamente os inimigos voltavam a avançar sobre a muralha que não os deixavam avançar  Alibaba fora obrigado a mover-se um pouco da zona a onde estava para que aquela zona da muralha fosse postas a baixo numa nova onda de areia que voltou a afastar os soldados.

- Já vos avisei uma vez e continuarei a fazê-lo. O quanto avançarem será o quanto serão postos para trás até desistirem de tomar de nós o que não vos pertence.voltava a tentar convencê-los a irem embora.

Notava-se claramente que muitos dos inimigos começavam a perder a vontade de lutar, aquela enorme parede no seu caminho parecia impenetrável. O processo continuava, eles tacavam e eram levados pelas areias e a cada investida eram diminuído o número de atacantes e cada vez via-se mais pessoas a largar as suas armas, mesmo sendo repreendidos pelos seus companheiros e superiores.

- Voltem para as vossas casas! – gritavam os magos e rebeldes e até mesmo os guerreiros das tribos.

Mesmo com a parede entre eles os gritos eram ouvidos em alto e bom som pelos invasores que sentiam cada vez menos vontade de continuarem. Os ataques cessavam e os escalões superiores tentavam incentivar as suas tropas sem vontade a marcharem em frente, mas sem sucesso.



Noite 500

- Conseguimos resolver o ultimo confronto, sem destruir o seu corpo, mas sim os seus espíritos de luta. Mas isso não muda tudo que aconteceu na Guerra.finalizou o resumo da guerra Talvez ainda não percebam o porquê de não aceitar este cargo como vosso Rei. Mas eu não quero transmitir os meus pecados para esta terra. terminou de se tentar justificar Escolhi alguém que tive sempre vocês como bem maiores desde que formos invadidos. A pessoa que merece mais vos guiar disse olhando para trás O vosso próximo Rei… o Barkak-Sensei!anunciou fazendo o homem com um braço metálico vir à frente.

- Alibaba-Ouji… murmurou olhando o rapaz

O povo ficou calado por momentos depois de ouvirem o nome do próximo governante mas os cantigas logo começaram.

- Barkak-Ou! Barkak-Ou! Barkak-Ou! – gritava o povo

- Então boa sorte Barkak-Sens… Quer dizer Barkak-Ou. disse afastando-se do parapeito da varando indo para dentro deixando agora a coisas com o novo rei.

- Sim eu ouvi-te mas mesmo assim, Balbadd já tem um novo Rei, agora talvez seja tarde de mais caso querias retornar. disse Judal

- Primeiro eles mudaram de novo por causa da minha conversa dos pecados e que Balbadd tinha desaparecido… Sindria é o nome. Segundo aquilo já não sentia como casa. disse Alibaba suspirando

- Sim, quando nos despedidos da Obassan e da Sakura ouvi rumores que outras terras dominadas começaram a lutar de volta, parece que a nossa vitoria inspirou outros a lutar para melhorar o seu estado.disse Judal

- Não sei se isso é uma coisa boa ou má, Guerra é algo terrível, mas de vez em quando necessária. comentou sobre o assunto

- Alibaba… tens dormido melhor? Desde aquele dia tens dormido com uma cara tão estranha. perguntou um tanto preocupado

- Haa? Tu ficas a olhar para mim enquanto durmo? E a stalker era a Naomi-chan?- gozou mudando de assunto

- Vee! Vee! guinchava o pokemon aos pés do Ferreiro os apanhando as pernas  o puxando.

- Estás com fome? Tem calma, já vou fazer algo para comemos. disse o rapaz abaixando-se para acariciar o animal

- Se calhar não vais precisar de cozinhar. disse acenando com a cabeça para olhar em frente.

Levantou-se a abriu um sorriso, finalmente algum sinal de civilização em alguns dias
avatar
Syaoran

Mensagens : 749
Data de inscrição : 18/05/2014
Idade : 23
Localização : Matosinhos

Ficha do personagem
Nome:: Alibaba Saluja
Stats:
Estilos:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [King Vessel] Navio

Mensagem por Syaoran em Sex 4 Jul 2014 - 13:14

Nota: Conversa apenas pela historia
Spoiler:

- Acabou… Mais algo que acabei por estragar. dizia o Ferreiro desanimado, enquanto caminhava pelo Navio Boas intenções não ajudam ninguém, tudo que acho que deveria esforçar-me acabo por fazer porcaria. Para que adianta ter ficado mais forte se cm esta força não posso fazer nada. Mais valia eu ter-me focado na única coisa que sei fazer bem e me faz feliz, mas acho que nem isso agora devo ser capaz de fazer a 100%.dizia referindo-se à instabilidade dentro de si.

Enquanto o Alquimista rugava pragas à sua vida o mago que havia passado o resto do dia tentando encontrar algo voltara pousando no Navio começando a andar na direção do seu companheiro sentado no chão encostado a uma parede.

- Que é que estás ai a murmurar? perguntou o mago deixando descer do seu braço Vee que havia encontrado meia perdida pela cidade.

- Acabamos… disse desanimado olhando o chão de madeira, aos pés do seu irmão estava a sua espada que tinha sido arremessada  em frustração.

- A serio? Lamento, ela foi umas razões para voltamos aqui, mas pelo menos temos outras coisas que nos prendem aqui. dizia o mago tentando fazer o rapaz pensar em outras coisas.

- Sim, mas agora isso já não tem mais valor. voltava a murmurar ainda de cabeça baixa

- Podes sempre continuar a criar coisas, isso sempre te animou.aconselhou o Judal.

- Sim, posso mas com sito que tenho, acho que não serei capaz. Aconteceram algumas coisas depois de nos separamos. Aquela sensação que te disse que poderia ser as pessoas que matei durante a Guerra. As coisas que tenho dentro de mim são os milhares de soldados a quem roubei as almas durante o ataque à capital, eles estão cheios de raiva, odio, remorso. Enquanto eles estiveram comigo não sei se conseguirei fazer o meu melhor na criação de armas.tentava explicar fechando os punhos com raiva.

- Isso é uma pena, mas deve haver maneira de te livrares deles. ponderou o mago

- Encontrei uma rapariga que estava desposta a tirar-me parte do cargo.disse levando as mãos à cabeça.

- Então?perguntou curioso

- Não aceitei a proposta, pelo o que percebi ela não destruía, mas sim guardava nela, colocava o peso nela. Eu estou a ficar maluco só de os ouvir gritar, não iria suportar que alguém ficasse assim a tirar-me o peso das costas.explicou levantando a cabeça olhando Judal

- Hmm… mudaste mas não o suficiente para sacrificar outros por ti. Paciência…dizia um pouco desiludido coçando a cabeça

- E tu que andaste a fazer? – perguntou olhando o mago

- Isto…disse atirando o livro que tinha consigo para o Ferreiro o deixando abrir nas paginas vincadas e ver o seu conteúdo, assim que o olhar de Alibaba deixou o livro e voltou para Judal ele continuo Andei à procura delas. Não bem à procura delas, mas de pistas que me levassem a descobrir supostas localizações, mas não tenho tantas pessoas para perguntar. Os Ninjas estão atarefados e as pessoas normais que estão nas ruas, ainda estão em choque pelo que aconteceu. resumiu o que andou a fazer naquele tempo

- Porque estás a procura delas? perguntou

- Bem, eu disse que precisavas de algo para encher a tua cabeça e agora que acabaste com ela ainda mais. Apesar de que não encontrei assim tanta coisa mas é provável que estejam para este lado do mundo, afinal as pessoas do passado que foram aparecendo foram por estas bandas, para além disso as historias que sei sobre essas armas apontam para que elas estejam por esta zona. revelou os seus conhecimentos

-  Obrigado, mas não é preciso. Eu não as iria utilizar. Por isso não precisas de te cansar mais a tentar achar algo delas. tentou fazer o mago desistir da ideia.

- Eu sei que irias dizer isso, mas elas são armas fantásticas mesmo assim, podes apenas tê-las para coleção ou até podes analisa-las e aprender algumas coisas para melhorar as tuas.  Mas parece que aquela mulher retirou até o gosto de criar cosias de ti. suspirou o Mago – Logo agora que penso que descobri a localização de uma delas em Konoha.murmurou de costas para o Ferreiro

- O quê? Sabes a onde está uma delas? perguntou rápido, a ambição começava a falar mais alto

- Talvez… as poucas pessoas que não me tentaram enxotar falaram das historias que liamos quando eramos pequenos. disse Judal virando-se As historias depois da Guerra, que mesmo os considerados criminosos antes da Guerra, depois de ajudarem começaram a ser vistos como Herois e Salvadores e que começaram a ser venerados. tentou explicar

- Mas Então a onde está? perguntou já de pé pegando na sua espada

- Bem, como continuava a Historia? Eles fizeram templos, e os veneravam. Por isso a melhor maneira de tentamos seguir estas histórias é procuramos algo que se assemelhe a um templo, mas pelo o que vi pela cidade não encontrei algo assim, talvez tenha sido destruído pelo ataque de hoje.explicou

- Então estás a dizer que não está na vila em si mas talvez na floresta?perguntou já pronto para sair

- Sim, mas calma, precisamos de descansar, amanhã ou assim saímos e vamos à procura de algo. aconselhou enquanto caminhava para os quartos pegando na Vee já adormecida no chão logo depois que tinha chegado.

- Está bem… disse  num suspiro também entrando nos quartos


Nota: Tentar melhorar o estado psicologico
Spoiler:

Judal já tinha adormecido assim como Vee que já tinha entrado no quarto a dormir, mas Alibaba ainda estava acordado.

- Acho que esta noite não vou conseguir dormir outra vez, elas não se calam, não consigo cala-los.reclamava em voz baixa para não acordar nem Judal nem Vee.

Desde que tinha prendido todos elas dentro do seu corpo, não tinha conseguido dormir direito, talvez uma hora de noite até que acordasse sobressaltado ou não aguentasse mais os gritos.

- Se não consigo dormir, posso tentar continuar a tentar fazer as pazes com eles. – decidia.

Respirou fundo e fechou os olhos tentando voltar para dentro de si, não custou muito, quando reabriu os olhos voltou-se a ver naquela dimensão vazia, parecia muito mais escura do que da última vez, não era difícil de perceber o porquê, o seu estado de espirito estava muito mais negro do que da última vez.

- Espero que isto não me dificulte. – comentou enquanto começava a caminhar em direção das armas, desta vez pareciam como uma forma gasosa que permanecia o prendia se espalhando em toda a sua volta Obrigado pela ajuda antes… agradeceu olhando para duas das caras de sofrimento à sua frente, mas mesma com quem tinha conseguido entender-se antes, sabia que tinha sido por elas que tinha diminuído a intensidade das vozes na sua cabeça Zyan e Ademir... - dizia o nome dos dois e de serguida olhava para as almas ao lado, prefurando a sua testa com o punho e de emidiato começoua verr imagens daquela pessoa.

Guerra, Guerra, Guerra, aquela arma pretedncia a alguem que participou em todas as conquistas daquele Reino incluindo na do seu país. Matou homens, mulheres, crianças  a mando do seu Lider, sempre que o fazia tinha uma cara trizte como se culpasse do que estava a fazer, mesmo assim o fazia, ele não tinha familia vivia pelo seu Reino, por isso mesmo achando errado fazia aquelas atrocidades. Mas algo era estranho a raiva que ele tinha não era de Alibaba ou dos rebeldes que o combateram, mas sim... Do seu Reino, como wle podia ter feito aquilo pelo seu país, mas mesmo assim o odiar. O odio nasceu no fim da sua vida, quando se sentiu perder a vida pensou como tinha sido usando. Ele fez aquilo a mando do seu lider há promessa que iria ser recompensado e reconhecido pelos seus atos, mas mesmo depois de tudo que fez acabou por ser mandado para aquele pequeno país como um soldado comum. Ambição ele fez tudo para ser reconhecido mas nunca recebeu nem nunca irá receber reconhecimento do seu País.

- Eles nunca repararam na tua lealdade, do teu amor pelo teu país, e menosprezaram-te. Mas eu sei o que fizeste com essas convicções, deitaste tudo fora pelo o que achavas certo e foste injustiçado.  Não terás o reconhecimento deles,mas terás o meu, Almir-san. - falou com sinceridade

A alma penada ao receber as palavras do Alquimista começou a diminuir os seus gritos de raiva e traição até que ficou que iguais aos outros dois, ainda havia muita dor mas alguma delas rinha desaparecido.


Acordaram já durante a tarde do dia seguinte.

- Alibaba. Alibaba... - chamava o mago - Queres ir á procura?  Já é tarde. - dizia o mago

Tinha dormido, bastante, já não dormia assim á meses, sentia se cheio de energia. Depois de tyodos se praopararem sairam em busca do suposto templo.
avatar
Syaoran

Mensagens : 749
Data de inscrição : 18/05/2014
Idade : 23
Localização : Matosinhos

Ficha do personagem
Nome:: Alibaba Saluja
Stats:
Estilos:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [King Vessel] Navio

Mensagem por Syaoran em Dom 27 Jul 2014 - 14:07

- Hey?! Judal?! Vee?! - chamava já no convés olhando em volta procurando sinal dos dois

De dentro do navio sairam os dois parecia que se preparavam para mas ao ver que o Alquimista estava de volta suspiraram.

- Estávamos mesmo agora sair para te ir procurar. Porque não voltaste? - perguntou o mago

- Encontrei a Hien por isso não voltei logo e depois ficar demasiado tarde. - explicou sucintamente.

- Encontras-te? E a onde ela está? - perguntou olhando o rapaz de alto a baixo.

- Não consegui ficar com ela, o espírito do Super-Nova estava nela para avaliar quem a quiser e eu falhei, mas não interessa agora,preciso de um banho e descansar numa cama fofa e não no chão. - dizia passando pelos dois já tirando a parte de cima da sua roupa.

- Ok, que fazemos agora? -perguntou Judal ao ver o Ferreiro abrir a prota.

- Hmm, vamos para Fuyuki não temos mais nada aqui. - respondeu

- E Ela? - continuou a perguntar.

- Ela deve ficar bem, não podemos fazer nada por ela agora. - disse num suspirando entrando

Judal não tentar mais nada e começou a preparar para mover o Navio e deixarem Konoha
avatar
Syaoran

Mensagens : 749
Data de inscrição : 18/05/2014
Idade : 23
Localização : Matosinhos

Ficha do personagem
Nome:: Alibaba Saluja
Stats:
Estilos:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [King Vessel] Navio

Mensagem por Syaoran em Qui 20 Nov 2014 - 19:17

Novamente no Navio, tinha decidido o destino e agora não havia volta atrás, a não ser que algo mais tarde o fizesse mudar de rota o impedindo de ir para o local que tinha escolhido, mas ele ia tentar, com alguma dificuldade por estar a tentar controlar o navio não muito sofisticado sozinho lá consegiu o fazer afastar da doca e o começou a navegar em direcção à localização escolhida.

- Por favor não seja a escolha errada... por favor não seja a escolha errada... - dizia aos sussurros para si enquanto ia em direcção à vila dos Ninjas tal como tinha dito a Judal.
avatar
Syaoran

Mensagens : 749
Data de inscrição : 18/05/2014
Idade : 23
Localização : Matosinhos

Ficha do personagem
Nome:: Alibaba Saluja
Stats:
Estilos:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [King Vessel] Navio

Mensagem por Syaoran em Sex 21 Nov 2014 - 16:09

Chegou à sua "casa" não era o melhor lugar mas era seu e era o primeiro que se tinha lembrado, empurrou a porta dos dormitórios e ainda com a sua amada nos braços entrou.

- Estás mais pesada - comentou ao entrar naquela divisão, ainda estava com um sorriso mas já tinha completa certeza que aquilo não era um sonho.
avatar
Syaoran

Mensagens : 749
Data de inscrição : 18/05/2014
Idade : 23
Localização : Matosinhos

Ficha do personagem
Nome:: Alibaba Saluja
Stats:
Estilos:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [King Vessel] Navio

Mensagem por Mustang em Sex 21 Nov 2014 - 19:03

- Continuas o mesmo não é? - comentou enquanto se fingia chateada pelo comentário do rapaz, logo depois desfez-se em mais um sorriso. Ainda no colo do rapaz, levou um dos seus dedos ao rosto dele, passou-os suavemente pela sua pele. O seu rosto estava corado, a sua voz estava firme e sensual - Então, é hoje? Desta vez não há nada para nos impedir.
avatar
Mustang

Mensagens : 435
Data de inscrição : 08/05/2014

Ficha do personagem
Nome:: Sasagawa Alphonse
Stats:
Estilos:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [King Vessel] Navio

Mensagem por Syaoran em Sex 21 Nov 2014 - 19:50

Continuava com o sozinho mesmo percebendo que o seu comentário tinha sido inapropriado. Sentiu o toque da amada e corou um pouco, os dois pensavam o mesmo, não iriam ser interrompidos daquela vez.

- Sim, desta vez não vamos ser atrapalhados - respondeu dando alguns passos em frente e aproximando-se da cama, sendo o mais gentil possível sentou Sheena na cama e sentado-se ao seu lado - Amo-te - declarou e voltou a selar os lábios das amada e a meter as mão na sua anca.

avatar
Syaoran

Mensagens : 749
Data de inscrição : 18/05/2014
Idade : 23
Localização : Matosinhos

Ficha do personagem
Nome:: Alibaba Saluja
Stats:
Estilos:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [King Vessel] Navio

Mensagem por Mustang em Sab 22 Nov 2014 - 18:20

O toque de Alibaba fora o sufeciente para alterar o estado hormonal de Sheena. Um arrepio percorreu todo o seu corpo, com esse arrepio veio também um grande desejo. Deixou-se levar pelo beijo enquanto que com uma das mãos, agarrou a roupa de Alibaba pelo peito. Num movimento rápido, deixou-se cair para trás, ficando deitada sobre a cama, mas ao mesmo tempo puxou o jovem ferreiro consigo, fazendo-o ficar sobre o seu corpo. Prossegui no ritmo dos beijos, não deixou perder o contato com os seus lábios. Com agilidade, prendeu a cintura de Alibaba com as suas pernas, enterlaçando-se nele.
avatar
Mustang

Mensagens : 435
Data de inscrição : 08/05/2014

Ficha do personagem
Nome:: Sasagawa Alphonse
Stats:
Estilos:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [King Vessel] Navio

Mensagem por Syaoran em Sab 22 Nov 2014 - 19:25

O Alquimista sem libertar os lábios da Amada foi puxado e logo de seguida sentiu a pessão da pernas da ilusionista á sua volta o prendendo. A pele do rapaz ficou arrepiada e as suas pupilas dilataram  com as acções da ANBU e preenchido de desejo de ver e sentir a pele nua da Amada colocou as suas mão por debaixo da roupa de Sheena auxiliando a despir a parte superior da vestimenta da rapariga, iria manter aquele beijo o mais tempo que conseguisse tentando explorar com a sua língua toda a boca da rapariga de uma só vez.
avatar
Syaoran

Mensagens : 749
Data de inscrição : 18/05/2014
Idade : 23
Localização : Matosinhos

Ficha do personagem
Nome:: Alibaba Saluja
Stats:
Estilos:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [King Vessel] Navio

Mensagem por Mustang em Dom 23 Nov 2014 - 20:02

A luz da manhã começava a adentrar pelo quarto de Alibaba, o sol já começava a nascer. Depois de uma noite onde, finalmente, o casal selou os seus sentimentos, Sheena começava a acordar. Sentia o cheiro do perfume natural do amado, estava agarrada ao tronco nu deste. Calmamente olhou para si, fitando o rosto do seu amado. Sorriu, tinha o corpo preenchido de sentimentos, pela primeira vez à muito tempo, estava estável.

- Bom dia, Alibaba-kun. - cumprimentou dando-lhe um pequeno beijo nos lábios, tentava acordar-lhe de forma delicada.
avatar
Mustang

Mensagens : 435
Data de inscrição : 08/05/2014

Ficha do personagem
Nome:: Sasagawa Alphonse
Stats:
Estilos:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [King Vessel] Navio

Mensagem por ET em Dom 23 Nov 2014 - 20:05


Lá nos ceus, celebrado o fato de Alibaba finalmente ter botado na Sheena após imensas adversidades, os anjos cantavam um hino à alegria,

_________________
Gentlemen, I like to troll. Gentlemen, I like trolling. Gentlemen, I LOVE to troll.
I like Asspull
I like twits
I like sudden trolling, I like planned trolling
in posts, in threads, in rules, in the facebook group, in the skype chat
I like pacing
I like missing details
I like pretentious plot
I like THE HEART
I love every aspect of trolling that takes on this Earth
and that's my policy as a mod
avatar
ET
Admin

Mensagens : 1131
Data de inscrição : 08/05/2014
Idade : 23
Localização : Açores

Ficha do personagem
Nome:: Minami Josuke
Stats:
Estilos:

Ver perfil do usuário http://animerpgpt.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [King Vessel] Navio

Mensagem por Syaoran em Dom 23 Nov 2014 - 20:54

Depois da noite à muito prometida e desejada o rapaz adormecido sentiu algo a "picar" os seus lábios e acordou com a doce voz da amada, abriu um sorriso e o manteve aberto durante algum tempo, talvez pelo tempo que lhe custou para por as suas ideias em ordem e acordar de vez e logo de seguida ficou triste - Não vale... Eu é que queria fazer isso. Queria ter acordado mais cedo tentando cozinhar algo para ti, quer dizer melhor ter ido comprar algo e acordar-te já com uma refeição feita. - reclamava o Alquimista levantando o tronco da cama - Que horas são? Quanto tempo te roubei? - perguntou
avatar
Syaoran

Mensagens : 749
Data de inscrição : 18/05/2014
Idade : 23
Localização : Matosinhos

Ficha do personagem
Nome:: Alibaba Saluja
Stats:
Estilos:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [King Vessel] Navio

Mensagem por Mustang em Dom 23 Nov 2014 - 20:58

- Não te preocupes com isso. O tempo não é perdido quando eu estou contigo. - respondeu com um sorriso enquanto ficou por mais alguns instantes os olhos do amado. Acabou por suspirar, apesar da ótima noite que tivera, ainda tinha aqueles pensamentos que lhe preocupavam. O seu olhar ficou um pouco sério - Alibaba-kun... acabamos de ter uma grande noite, finalmente está tudo bem entre nós. Desculpa ter que desviar o assunto desta maneira... mas eu estou preocupada, tenho que desabafar com alguém.
avatar
Mustang

Mensagens : 435
Data de inscrição : 08/05/2014

Ficha do personagem
Nome:: Sasagawa Alphonse
Stats:
Estilos:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [King Vessel] Navio

Mensagem por Syaoran em Dom 23 Nov 2014 - 21:02

- Que se passa Hime-chan? - perguntou ficando preocupado sentando-se de joelhos em cima da cama prestando atenção à rapariga - É o que te esqueceste? - interrogando com um pouco de medo, não sabia se estava preocupado para lhe contar como ela era, ainda tinha receio de a fazer voltar a ficar naquela forma
avatar
Syaoran

Mensagens : 749
Data de inscrição : 18/05/2014
Idade : 23
Localização : Matosinhos

Ficha do personagem
Nome:: Alibaba Saluja
Stats:
Estilos:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [King Vessel] Navio

Mensagem por Mustang em Dom 23 Nov 2014 - 21:17

- É o Alphonse... - disse num pequeno sussurro, parecia um pouco triste naquele tema - Ele é tão... tão... enigmático. Ninguém sabe o que ele quer, ou quais são os seus objetivos. Ninguém o quão fiável é a sua lealdade para com alguém. - suspirou, sentou-se na cama, parecia ainda mais preocupada - O seu poder cada vez é mais negativo e alimentado pelo ódio. Ele só visa vingança, mas de um modo peculiar. Ele é astuto e sabe jogar com todas as peças. - fez uma pequena pausa e olhou para Alibaba - O quão verdadeira é a minha ligação com ele? E os seus companheiros, a sua equipa, será que é sustentada em sentimentos reais?
avatar
Mustang

Mensagens : 435
Data de inscrição : 08/05/2014

Ficha do personagem
Nome:: Sasagawa Alphonse
Stats:
Estilos:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [King Vessel] Navio

Mensagem por Syaoran em Dom 23 Nov 2014 - 21:35

- O Alphonse. Estás com medo que ele seja corrompido até ao ponto de não retorno. - tentava perceber o que a rapariga queria dizer - Já tentaste falar com ele, ou com com os teus companheiros para saber o que eles pensam? - perguntou tentou dar opções, não era como se ele conhece-se muito bem o ilusionista - Não sei se posso ajudar em algo a não ser ouvir-te. Desculpa - abaixou a cabeça sem saber muito o que fazer - A não ser que tenhas alguma ideia do que possa fazer para ajudar.
avatar
Syaoran

Mensagens : 749
Data de inscrição : 18/05/2014
Idade : 23
Localização : Matosinhos

Ficha do personagem
Nome:: Alibaba Saluja
Stats:
Estilos:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [King Vessel] Navio

Mensagem por Mustang em Dom 23 Nov 2014 - 22:01

- Falar com o Alphonse é um problema, visto que ele é um Enigma. Nunca vi um apelido tão bem atribuido. - comentou no final para si mesma pensando no seu apelido da ANBU, já que ele era conhecido por gerar confusão - Não me serve de nada falar com ele, não consigo entender quais são as suas intenções. - desviou o olhar e apertou os punhos - Eu só não queria que ele caísse tão fundo. Sei que ele tem um bom coração, mas está a ser corrumpido. - o seu olhar parecia triste - Não quero chegar ao ponto em que tudo seja irrevertível. Ao ponto em que a sua morte passe a ser um objetivo para todos.
avatar
Mustang

Mensagens : 435
Data de inscrição : 08/05/2014

Ficha do personagem
Nome:: Sasagawa Alphonse
Stats:
Estilos:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [King Vessel] Navio

Mensagem por Syaoran em Dom 23 Nov 2014 - 22:12

Custava-lhe ver a sua amada naquela tristeza e receio, mas iria custa-lhe ainda mais o que iria acabar por dizer. - Sei que gostas dele e que não queres que algo de mal lhe aconteça. Mas uma das coisas que eu aprendi neste ano de guerra foi que sacrifícios tem de ser feitos, nem toda a gente pode ser salva e por vezes muitas tem de ser sacrificada para outras sobreviveram. - falou fazendo uma pausa apenas para respirar fundo - Se ele ou alguém se tornar uma ameaça não hesitarei em tentar mata-lo. E o mesmo comigo se eu acabar por chegar ao ponto de não retorno prefiro que me abatam. - disse com toda a sinceridade - Talvez ainda exista esperança para ele esperemos bem que sim. - desejou
avatar
Syaoran

Mensagens : 749
Data de inscrição : 18/05/2014
Idade : 23
Localização : Matosinhos

Ficha do personagem
Nome:: Alibaba Saluja
Stats:
Estilos:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [King Vessel] Navio

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 5 1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum